Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

26/07/2016 às 16:10

4G está disponível apenas em metade do tempo no Brasil

Escrito por: Luís Osvaldo Grossmann
Fonte: Convergência Digital

Com rápido crescimento, o número de acessos em 4G no Brasil já passa dos 36 milhões. Mas como mostra um novo levantamento da OpenSignal, divulgado nesta terça-feira, 26/07, conexões efetivas de LTE só acontecem na metade das vezes – na média das quatro principais operadoras, 53%, mesmo índice medido em dezembro de 2015. 
 
O cenário mudou um pouco na análise feita entre fevereiro e abril deste 2016, com base em 85 milhões de medições a partir de 45 mil smartphones ativos no Brasil – número de celulares com o app da OpenSignal instalado. A Oi foi a única a figurar abaixo da marca dos 50%, com 47,4% de disponibilidade. Vivo e Tim, respectivamente com 4G disponível 56,8% e 56,2% do tempo foram as melhores avaliadas. Na Claro, as conexões foram encontradas 52,9% do tempo. 
 
As evidências são de que as empresas priorizaram o Rio de Janeiro, por conta dos Jogos Olímpicos que começam na próxima semana. Lá, a disponibilidade é sensivelmente superior ao resto do país. A Nextel (que só oferece serviços no Rio e em São Paulo) tem sinal disponível 77,8% do tempo, enquanto a Vivo apresenta 73,4%. Tim e Claro aparecem com 65,6% e 62,6% do tempo, respectivamente. Já no caso da Oi, a capital fluminense não se sai melhor que a média do país, com apenas 43,8% de disponibilidade de LTE. 
 
Mas se a disponibilidade do 4G mostrou alguma melhora segundo o levantamento, há pouco avanço nas velocidades. Com exceção da Vivo, que teve aumento de 3 Mbps e apresentou velocidades médias de 18,6 Mbps, Tim, Claro e Oi se mantiveram ou pioraram. Na Claro, com segunda melhor performance, a velocidade ficou em 11,6 Mbps (era 12 Mbps no relatório de fevereiro). A Oi, que então aparecia com 13 Mbps, caiu para 11,4 Mbps, enquanto a Tim também recuou, de 9 Mbps para 8 Mbps, em média. 
 
No caso do 3G, a história é semelhante, com Vivo, Claro e Tim com desempenhos um pouco acima de 2 Mbps  (2,4 Mbps nas duas primeiras, 2,2 Mbps na Tim). Já a Oi aparece com média de 1,6 Mbps no 3G. Considerando-se as médias da terceira e da quarta geração – afinal, o LTE só está disponível pouco mais da metade do tempo, com as conexões então ‘caindo’ automaticamente para 3G – o resultado é que a Vivo tem velocidade média de 5,7 Mbps, seguida pela Claro, com 4,6 Mbps; da Tim, com 3,5 Mbps; e da Oi, com 3,1 Mbps. 
 
A pesquisa também avaliou a latência das conexões – quando menor, mais rápida é a resposta da rede. Nesse quesito, Tim e Oi apresentaram os melhores desempenhos, a partir de medições feitas com “apps de comunicações em tempo real”, segundo a OpenSignal. Nelas, a latência medida foi de 74,1 e 74,8 milisegundos. A Claro teve latência de 82,5 ms, e a Vivo a maior de todas, 103,9 ms. No 3G, a Nextel liderou (103 ms), seguida pela Tim (148,4 ms), Claro (162,2 ms), Vivo (168,3 ms) e da Oi (172,4 ms).