Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

25/05/2015 às 15:32

A 10 meses do desligamento analógico, Torre de TV Digital de Brasília tem falhas graves

Escrito por: Luís Osvaldo Grossmann
Fonte: Convergência Digital

Inaugurada incompleta em 2012, está fechada desde outubro de 2013 e, desde então, o estado da torre parece ter piorado

A Torre de TV Digital, última obra de Oscar Niemeyer na capital, tem falhas graves, segundo aponta uma fiscalização do Tribunal de Contas do Distrito Federal. Inaugurada incompleta em 2012, está fechada desde outubro de 2013 e, desde então, o estado da torre parece ter piorado. Detalhe: em Brasília já começou a contagem regressiva para o desligamento dos sinais analógicos de televisão, prevista para 3 de abril de 2016.
 
Segundo o TCDF, falhas no projeto e na execução da obra causaram danos que podem trazer prejuízo à segurança, à durabilidade e à qualidade da chamada Flor do Cerrado. O projeto não previu a captação e a drenagem das águas pluviais, especialmente nas passarelas de acesso às cúpulas, onde deveriam funcionar um bar e um espaço para exposições.
 
Iniciada em 2009, ainda sob a gestão do governador José Roberto Arruda – preso durante o mandato por denúncias de corrupção – a obra era prometida para as comemorações dos 50 anos de Brasília, em 2010. Ainda não totalmente pronta, foi inaugurada em 2012, pelo então governador Agnelo Queiroz. O atual governo, de Rodrigo Rollemberg, promete, segundo o TCDF, concluir os reparos em 15 dias.
 
Na prática, a Torre de TV Digital só teve recebimento provisório pelo governo do Distrito Federal, em maio de 2012. Segundo o Tribunal de Contas do DF, é por isso que o governo local não pode sequer contratar a manutenção da torre, visto que a obra não pertence legalmente ao patrimônio. As construtoras Mendes Júnior e Atrium formaram o consórcio vencedor da licitação que, orçada em R$ 64 milhões, teve aditivos que elevaram o preço a R$ 76,2 milhões – embora R$ 3,5 milhões tenham sido retidos a mando do TCDF.
 
A fiscalização encontrou ainda indícios de corrosão da estrutura, sinais de oxidação da armadura de aço, trincas grandes na fachada, na cobertura e internamente e fissuras diversas nas rampas e por toda a obra. Foram identificados alagamentos internos, aumentando as infiltrações e dano no sistema de esgotamento sanitário a vácuo e de ar condicionado, em face do indevido escoamento da água para essas tubulações.
 
Ainda segundo o relatório do Tribunal de Contas, a Torre de TV Digital tem fios expostos, vazamentos, calçadas de acesso remendadas, grandes rachaduras no piso, significativas imperfeições no acabamento de pintura em diversos locais,  defeitos graves no acabamento dos banheiros, sistema de alarme de incêndio desligado por falta de sensores, que foram furtados, entre outros.
 
* Com informações do TCDF