Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

26/09/2013 às 00:31

A difícil tarefa de vender servidores a pequenos clientes

Escrito por: Redação
Fonte: Valor Econômico - Online

Os servidores - computadores potentes que administram o tráfego das redes - são comuns em grandes empresas e, principalmente, em centros de dados, que oferecem serviços a terceiros. Entre as pequenas empresas, porém, os equipamentos permanecem uma raridade. Segundo Sílvio Campos, diretor comercial da Accept, fabricante de servidores sediada em São Paulo, apenas 4% das mais de cinco milhões de pequenas e microempresas do país tem esse tipo de equipamento. As demais usam PCs comuns como servidores, uma situação que pode criar problemas de desempenho.

Numa tentativa de levar os servidores aos pequenos negócios, a Accept criou um pacote de produtos em parceria com a fabricante de chips Intel e a Microsoft, dona de softwares como o Windows e o pacote Office. A oferta inclui um servidor com capacidade para conectar 15 usuários e armazenar 500 gigabytes (GB) de informações. O valor total da máquina é de R$ 2,6 mil à vista. Quem preferir poderá alugar a máquina por um período de 40 meses por um valor mensal.

Para as companhias que já têm um servidor em funcionamento, a Accept criou um programa de recompra dos equipamentos pelo valor de R$ 200. De acordo com Campos, os discos dos equipamentos serão destruídos para evitar o vazamento de informações das empresas e as máquinas serão enviadas para reciclagem.

A expectativa é que sejam vendidas 300 máquinas nesse pacote até o fim do ano. De acordo com Campos, o volume pode parecer pequeno, mas é significativo para um segmento que não investe nesse tipo de equipamento. De acordo com o executivo, a meta é manter a oferta em 2014.

Assim como o mercado de PCs, as vendas de servidores em todo o mundo têm apresentado um desempenho fraco. Segundo a empresa de pesquisa de pesquisa Gartner, no segundo trimestre as vendas cresceram 4% em número de unidades, mas caíram praticamente na mesma proporção em termos de receita (3,8%) na comparação com o mesmo período do ano passado.

De acordo com a companhia, o setor encontra-se em situação frágil por conta da demanda enfraquecida nos países desenvolvidos e o investimentos de grandes companhias de tecnologia como, Google e Facebook, no desenvolvimento de suas próprias tecnologias em servidores. (GB)

Por De São Paulo