Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

24/01/2012 às 23:01

ABTA diz que modelo de venda de set-tops no varejo é inviável

Escrito por: Samuel Possebon
Fonte: PAY-TV

Apesar de ter elogiado publicamente o texto da consulta pública do Regulamento do Serviço de Acesso Condicionado da Anatel, a ABTA, que representa os atuais operadores de TV paga, levanta dois pontos em que entende haver a necessidade de uma melhor redação por parte da agência. A primeira é em relação à possibilidade de que sejam instalados, pelos consumidores, caixas decodificadoras adquiridas no varejo. Para a ABTA, esse é um modelo que já foi tentado em vários paísese que não deu certo. "Tenho certeza de que qualquer operador de TV paga gostaria de se livrar desse Capex investido na compra dos set-tops. Mas o fato é que isso é inexequível", disse Alexandre Annenberg, presidente da ABTA, lembrando que em todos os casos do mundo em que políticas semelhantes tentaram ser implementadas não foi possível desenvolver um modelo. "As caixas decodificadoras têm uma quantidade tal de softwares e sistemas instalados que desenvolver uma universal seria economicamente inviável". Para Annenberg, a solução seria a Anatel permitir que as próprias operadoras colocassem as suas caixas no varejo e e que essas sim possam ser adquiridas pelo consumidor.

A Net Serviços também alertou para o risco de pirataria que se abre com essa possibilidade. Para a empresa, hoje já existe um comércio ilegal de caixas piratas que se intensificaria com essa possibilidade.

Recepção da TV aberta
Outro ponto colocado pela ABTA, e que também encontrou respaldo nas manifestações do SindiTelebrasil e de outras operadoras, é a obrigação de viabilização de um mecanismo para recepção dos sinais de TV aberta. "Seria melhor que a Anatel exigisse apenas a possibilidade de conexão com a rede de recepção de TV aberta do assinante, mas não faz sentido que se exija refazer algo que já existe ", disse, lembrando que hoje as residências têm suas próprias estruturas de recepção de TV aberta. "Além disso, os operadores não podem ficar responsáveis pela qualidade do sinal de TV aberta que chega até a casa dos assinantes". A exigência da Anatel existe, na verdade, para operadores de DTH, como forma de obrigá-los a distribuírem também os sinais locais.

Questionada por este noticiário sobre se a obrigatoriedade de viabilizar o dispositivo para recepção aberta se aplicaria sobre a base legada de set-tops e se todos os set-tops de uma mesma residência teriam essa obrigação, a Anatel disse que ainda não há uma posição definida.