Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

24/08/2016 às 15:37

América Latina tem queda histórica no mercado de PCs

Escrito por: Luís Osvaldo Grossmann
Fonte: Convergência Digital

Um novo relatório do Gartner mostra queda mundial nos embarques de computadores (PCs), de 5,2% no segundo trimestre de 2016 em relação ao mesmo período de 2015. Os impactos, porém, são distintos. A consultoria registra o desempenho especialmente fraco da América Latina, que “deve ser um dos mais baixos na história do mercado de PCs” na região. 
 
“A América Latina ainda apresentou resultados fracos devido à instabilidade política e econômica. A remessa de PCs na região deve cair para menos de 5 milhões de unidades no segundo trimestre de 2016, o que é um declínio de mais de 20% em relação ao segundo trimestre de 2015”, diz o estudo.
 
No mundo, as remessas de PCs totalizaram 64,3 milhões de unidades durante o segundo trimestre, uma queda de 5,2% sobre 2015. Esse foi o sétimo trimestre consecutivo de queda nas remessas de PCs, com recuo em todas as regiões, com exceção da América do Norte.
 
“Um dos problemas atuais no mercado de PCs tem sido o aumento dos preços em algumas regiões devido ao enfraquecimento da moeda local frente ao dólar americano. O preço impactou as regiões da EMEA (Europa, África e Oriente Médio) e da América Latina no ano passado. No entanto, a queda na remessa de PCs foi pequena no segundo trimestre se comparado aos trimestres anteriores, o que sugere uma diminuição no impacto da moeda”, afirma o analista Mikako Kitagawa.
 
A Lenovo manteve a primeira posição no mundo em remessas de PCs no segundo trimestre de 2016, apesar de uma queda de 2,2% nas unidades em relação ao mesmo período do ano anterior. A empresa vivenciou um crescimento de dois dígitos no mercado de PCs portáteis nos Estados Unidos. Na Ásia/Pacífico, as remessas da Lenovo caíram, mas a queda foi menor do que a média geral da região.
 
A HP Inc. voltou a crescer no segundo trimestre de 2016 após quatro trimestres consecutivos de queda nas remessas. A empresa solucionou seu acúmulo de inventário, o que desacelerou suas remessas de venda. A Dell cresceu mais rápido que a média do mercado em todas as regiões no segundo trimestre de 2016. A companhia obteve bons resultados especialmente nos mercados dos Estados Unidos, América Latina e Japão. 
 
* Com informações da Gartner