Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

06/10/2015 às 13:45

André Figueiredo começa a fazer mudanças nas Comunicações

Escrito por: Luís Osvaldo Grossmann
Fonte: Convergência Digital

O novo ministro das Comunicações, André Figueiredo, já começa a fazer mudanças na pasta. Até aqui, o único confirmado é Francisco José Pontes Ibiapina, que será o secretario executivo – ele ocupava o mesmo posto no Ministério do Trabalho.
 
Ibiapina assume no lugar de Luiz Antonio Azevedo (que deve seguir com Ricardo Berzoini para a Secretaria de Governo). Ainda nesta segunda, antes da cerimônia de assinatura da posse, no Planalto, Figueiredo esteve no Minicom e começou a conhecer como funciona a pasta.
 
As mudanças não devem parar aí. No ministério, o movimento é de procura por novos pousos no governo. O próprio André Figueiredo reconheceu que vai avaliar nomes para substituir os atuais. “Deve ter mudanças, mas vamos primar pela meritocracia. Vamos pegar pessoas que realmente conhecem o assunto”, afirmou.
 
O novo ministro das Comunicações não sabe, por enquanto, se as mudanças chegarão também à Telebras. “Vou conversar com Jorge Bittar [o atual presidente da estatal vinculada ao Minicom]. Gosto muito dele pessoalmente, talvez não haja mudança”, disse Figueiredo.
 
Sobre o novo cargo, o ministro destacou dois pontos: a revisão do marco legal das comunicações e a implementação de um novo programa de inclusão digital, conforme prometido pela presidenta durante a campanha eleitoral no ano passado.
 
“O Brasil precisa aperfeiçoar a legislação de telecomunicações”, disse André Figueiredo. O novo ministro, no entanto, foi tão cauteloso sobre o tema quanto seus antecessores. “Antes de levarmos qualquer projeto [ao Congresso Nacional], vamos discutir”, emendou.
 
Figueiredo reconheceu que no caso da ampliação do acesso à internet, há dificuldades orçamentárias mas também um compromisso da presidenta. “Precisamos implementar e a presidenta garantiu que vai nos ajudar”, disse o novo ministro das Comunicações.
 
“O plano de banda larga foi algo que ela mencionou quando ela nos convidou [para o ministério]. Lógico que a gente sabe das dificuldades pelas quais o Brasil passa hoje, mas temos que buscar inovação. Vamos ter que buscar soluções que possibilitem implementar algo que ela prometeu na campanha que faria”, afirmou.