Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

23/03/2016 às 15:03

Apenas 0,8% das conexões brasileiras são acima de 15 Mbps

Escrito por: Convergência Digital
Fonte: Convergência Digital

No quarto trimestre de 2015, a média global de velocidade de conexão à Internet manteve-se superior à considerada "banda larga" (4 Mbps), com 5,6 Mbps, e apresentou crescimento de 8,6% em relação aos três meses anteriores e 23% em relação ao mesmo período do ano anterior.
 
A Coréia do Sul manteve-se em primeiro lugar no ranking – que conta com 148 países/regiões – com 26,7 Mbps, crescimento de 20% em relação ao mesmo período do ano anterior. No comparativo trimestre a trimestre, 131 dos países/regiões qualificados para o ranking apresentaram aumento de velocidade média de conexão, variando de 0,8% na Turquia (6,3 Mbps) a 99% no Quênia (5,0 Mbps).
 
No que diz respeito aos picos de conexão, houve no período um tímido crescimento de 1% na média global alcançando 32,5 Mbps, que representa um aumento de 21% em relação ao mesmo período do ano anterior.
 
Dos 148 países qualificados para o ranking, Cingapura registrou o maior crescimento e manteve-se em primeiro lugar, com pico de 135,7 Mbps e aumento de 0,2% em relação ao trimestre anterior e 61% em relação ao mesmo período do ano anterior.
 
O estudo também segmenta a análise por regiões – Américas, Ásia-Pacífico e EMEA (Europa, Oriente Médio e África). Com base nisso, identificou que na América Latina a velocidade média de conexão variou de 6,2 Mbps, no Uruguai, a 1,6 Mbps, no Paraguai.
 
No ranking global, os países estão na 64ª e 142ª colocação, respectivamente. Já o Brasil apresentou velocidade média de 4,1 Mbps e, registrando crescimento de 13% em relação ao trimestre anterior, subindo no ranking de 93ª para 88ª posição. Se comparado ao mesmo período no ano anterior, cresceu 38%.
 
Em relação à média de picos de conexão, o Brasil registrou 30,3 Mbps, aumento trimestral de 4,6% e de 38% em relação ao último ano. Assim, o país caiu da 79ª para a 85ª posição no ranking global de picos de conexão.  Na América Latina, os picos do trimestre variaram de 57,2 Mbps no Uruguai a 11,3 Mbps na Venezuela, regiões que ficaram nas posições 26ª e 140ª neste ranking, respectivamente.
 
Ainda, o relatório verificou que nas Américas 10 países têm mais de 25 mil endereços de IP conectados à Akamai com velocidade superior a 10 Mbps (alta banda larga). Dentre eles estão: EUA (com taxa de adoção de 53%), Canadá (49%), Chile (10%), Uruguai (8,8%), México (8,2%), Argentina (4,4%), Equador (3,3%), Peru (2,9%), Brasil (2,9%) e Colômbia (2,2%).
 
Em relação às conexões de banda larga (entre 4 Mbps e 10 Mbps), destacam-se Canadá e EUA, com 88% e 83%, respectivamente. Dentre os outros países que se encaixam no perfil analisado, a adoção varia de 72%, no Uruguai, a 2,7% na Venezuela. O Brasil apresenta adoção de 39%, crescimento de 20% em relação ao último trimestre e crescimento de 49% se comparado ao mesmo período do ano anterior.
 
Em relação às conexões acima de 15 Mbps, EUA e Canadá também se destacam, com 32% e 27% de taxa de adoção, respectivamente. Dentre os outros países que se encaixam no perfil analisado, a adoção varia de 2,7%, no Chile, a 0,5% na Colômbia. O Brasil apresenta adoção de 0,8%, crescimento de 24% em relação ao último trimestre e crescimento de 69% no comparativo ano a ano.
 
O estudo registrou aumento de 1,7 milhões de endereços de IP únicos na contagem global, com variação de crescimento de 0,6% no Japão a 2,3% na Rússia. Dos Top 10 países/regiões considerados no levantamento, apenas os EUA (-3,2%) e índia (-1,9%) apresentaram queda em relação ao trimestre anterior. O Brasil mantém a terceira posição em volume de IPs conectados à Akamai, com 47.931.625 endereços no período. Ainda, apresentou crescimento de 1,6% no trimestre e de 1,4% se comparado ao último período um ano.
 
Mobilidade
 
No quarto trimestre de 2015, dos 72 países qualificados, os EUA lideraram o ranking de velocidade de conexão móvel com velocidade média de 26,8 Mbps, enquanto o Irã foi o último colocado, com 1,3 Mbps. Na América do Sul, o Paraguai apresentou a maior velocidade, com média de 5,7 Mbps, e o Brasil registrou média de 3,2 Mbps.
 
No que diz respeito à média de picos de conexão, Austrália atingiu o maior número do período, com 153,3 Mbps, e o Irã também figurou em último lugar, com 7,4 Mbps. O Brasil registrou, no período, 22,7 Mbps e, na América do Sul, o maior pico ficou por conta do Peru, com 72,1 Mbps.
 
Em relação à adoção de banda larga móvel (> 4 Mbps), Finlândia e Austrália lideram juntas com a maior taxa de adoção, 99%, enquanto Irã, Cazaquistão e Venezuela tiveram taxas abaixo de 1%. Na América do Sul, novamente a Paraguai destaca-se, com 65% de adoção. Para acessar o estudo completo, acesse: http://www.stateoftheinternet.com/soti-reports .