Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

29/01/2007 às 08:42

Astrid chega ao GNT e critica MTV

Escrito por: Redação
Fonte: Folha de São Paulo

A partir de março, a massa rubro-negra terá a chance de 'reconverter' uma torcedora que, ao trocar o Rio por São Paulo, há quase 30 anos, 'virou a casaca' e passou a vestir a camisa do Corinthians. É que, depois de fazer sua carreira na capital paulista -com passagens por Gazeta e Band, além de quase uma década de MTV-, a apresentadora carioca Astrid Fontenelle, 45, volta à terra natal para ancorar uma nova atração diária do canal GNT. Com alguns quadros ainda a definir, o que ela já sabe é que, ao vivo, por volta das 19h, vai se dividir entre entrevistas com convidados no estúdioe a interação com repórteres ou espectadores via telefone, e-mail, fotos e vídeos gravados com celulares. A pauta promete ser ampla. 'De Ronaldo Esper a [cratera do] metrô. Não vamos dar a notícia, mas sim a minha opinião sobre aquilo, com um enfoque sarcástico, 'língua dura'', afirma aapresentadora. Ela atesta a inclinação à galhofa ao falar da MTV, em que, nos anos 90, esteve à frente de programas como o 'Barraco' e o 'Pé na Cozinha'. Classificando a passagem pelo canal como 'missão cumprida e comprida', Astrid diz ter ficado surpresa com o recente anúncio de queos videoclipes -que fizeram a fama da emissora- deixarão a programação regular da casa. 'Quero ver como vão fazer com o VMB [Video Music Brasil, premiação anual da MTV]. É o produto de maior visibilidade e faturamento. O [diretor de programação] Zico Goes vai pegar clipes do YouTube?', provoca. E sobe o tom da crítica. 'Saí quando saiu o grupo que tinha a idéia de amadurecer a MTV', diz, citando nomes como Jorge Espírito Santo (hoje diretor artístico do GNT) e André Vaisman (atual diretor de criação e marketing da PlayTV). 'Hoje, tem apresentador lá que é maior que o canal, de um jeito que a MTV antiga repudiaria severamente', emenda, apontando a apresentadora Daniella Cicarelli como exemplo. Voltando à estréia no GNT, Astrid diz que sua atração será voltada para a 'mulher independente, de 25 a 45 anos', que assistirá enquanto estiver'fazendo comida, trocando de roupa, arrumando-se para a balada'. Seguindo essa cartilha 'descolada', o programa reciclará quadros de moda, música e decoração do 'Armazém 41' (que sai do ar) e trará segmentos sobre defesa do consumidor, sexo e economia, numa espécie de abre-alas do horário nobre do canal. A interação com outras produções do GNT também está prevista. Não vai ficar com cara de 'Vídeo Show'? 'Não. Vamos pegar um serviço de outro programa e ampliar o alcance daquela informação', garante ela. E o público jovem (hoje já não tão jovem assim...) que aacompanhava na MTV: vai ser contemplado de alguma forma? 'Eu tenho uma pegada mais jovem, consumo coisas mais pop. Vou ao show do Jorge Benjor e Ben Harper. Não vou ver Simone e Fábio Júnior.'