Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

17/10/2016 às 19:44

Brasileiro usa cada vez menos celular para chamadas de voz

Escrito por: Luís Osvaldo Grossmann
Fonte: Convergência Digital

Uma nova pesquisa divulgada pela consultoria Deloitte coloca em números algo que já parece senso comum: cada vez menos as pessoas usam telefones celulares para falar ao telefone. Ou pelo menos por meio de chamadas de voz. Em três anos, as ligações deixaram de ser o principal motivo para se ter um aparelho, sendo superadas por mensagens instantâneas, redes sociais e até e-mails.
 
“A redução no uso do aparelho móvel para realizar chamadas de voz tradicionais é um fenômeno que vem sendo acompanhado de perto e que causa certa preocupação entre as operadoras de telefonia, que têm se dedicado a repensar seus modelos de negócios”, diz a diretora da Deloitte para telecom e tecnologia, Solange Carvalho.
 
A nova pesquisa foi apresentada nesta segunda, 17/10, na Futurecom e traz dados de 2016 com base em entrevistas com 53 mil pessoas em 31 países – 2 mil delas no Brasil. Entre as várias tendências captadas, a pesquisa mostra como os aplicativos estão se tornando as principais ferramentas dos smartphones.
 
Quando fez o primeiro desses levantamentos, em 2013, a chamada tradicional de voz liderava com folga – 80% dos entrevistados apontavam como o principal uso do aparelho. Naquele mesmo ano, apenas 43% indicavam as mensagens instantâneas como maior uso, embora 16% já apontassem para sistemas de ‘voz sobre IP’, ou VoIP.
 
Dois anos depois, o levantamento de 2015 mostrava a mudança, consolidada nesta nova rodada de 2016. Enquanto 79% apontam as mensagens instantâneas como principal uso dos smartphones, apenas 61% indicam as chamadas de voz – um tombo de 20 pontos percentuais enquanto ferramentas como Whatsapp praticamente duplicaram em importância.
 
Não só. A mesma pesquisa mostra que as redes sociais são o principal uso para 73% e que ler e-mails aparece em seguida, com 63% - só então surgem os 61% das chamadas de voz tradicionais. Nesse mesmo período, o VoIP que era apontado por apenas 16% dos entrevistados passou a ser o principal uso para 47% deles.
 
“Mensagem instantânea é o canal mais utilizado, depois as redes socais, depois o email. O inverso se dá com as chamadas de voz. Cada vez mais os brasileiros estão conectados nas mídias sociais, enquanto a voz cai na mesma proporção em que cresce o uso de mensagens”, resume a sócia da Deloitte para atendimento à indústria de tecnologia, mídia e telecom, Marcia Ogawa.