Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

10/04/2006 às 08:32

Central de talentos da periferia

Escrito por: Redação
Fonte: Jornal de Brasília

Zé Brown é líder da banda de hip hop Faces do Subúrbio. Sua música faz denúncia social. Dedesso, vocalista da Vício Louco, canta tecnobrega. Suas letras falam de diversão. O que eles têm em comum? São desconhecidos do público e ignorados pela TV, mas na periferia de Recife fazem o maior sucesso. Os dois são alguns dos novos talentos descobertos por Regina Casé no programa Central da Periferia, uma criação da apresentadora e do antropólogo Hermano Vianna, com direção de núcleo de Guel Arraes, que estréia neste sábado, às 16h50m, após o Caldeirão do Huck, na Rede Globo. Especialista em retratar anônimos, Regina Casé acha graça quando perguntada como consegue encontrar tanta gente interessante. Na verdade, não é bem assim. 'Zé Brown e Dedesso são famosíssimos. Não tem a menor descoberta. Eles existem, estão lá. As pessoas é que não vão aonde eles estão.Este é um programa de inclusão cultural', define a apresentadora, que explora os lugares por onde passa em suas viagens. Série de quatro especiais, Central da Periferia irá ao ar mensalmente. Trata-se de um derivado do Projeto Brasil Total (de Regina, Hermano e Guel), mostrando os 'brasis' queo povo não conhece e revelando talentos regionais. Cidadania Para quem assistiu ao Mercadão de Sucessos, quadro do Fantástico que mostrava os artistas e os diferentes gêneros musicais surgidos na periferia das grandes cidades, o programa é uma evolução daquela idéia: converge tudo o que Regina e Hermano já fizeram juntos desde 1991, em atrações como Programa Legal e depois Brasil Legal. 'Aqui há uma reflexão. Não é só diversão', esclarece Hermano. 'Vamos à periferia encontrar pessoas diferentes e interessantes, que têm projetos sociais e de cidadania. Se antes os dois buscavam personagens e coisas bacanas que estavam escondidas pelo País, a novidade é a procura por ações 'legais', voltando o foco para a arte e a cultura produzidas pelo povo que mora na periferia e para o engajamento social. A constatação de Hermano Vianna é que essas populações hoje estão bemmais organizadas: 'Isso é resultado de 20 anos de democracia no País. Morro da ConceiçãoA música conduz o primeiro programa, gravado no Morro da Conceição, periferia de Recife, onde foi montado um palco de cerca de 400 metros quadrados. Mais de 1.500 pessoas assistiram ao show de ídolos locais, como Zé Brown, Dedesso e Michelle Melo, a Madonna do Nordeste, entre outros. Além da música, Regina Casé acompanha as histórias de cada um e mostra que eles exercem outras atividades criativas ou se empenham em projetos sociais. A idéia não é realizar nos próximos especiais um musical:'A gente tinha vontade de fazer um programa de auditório, mas ao ar livre. Um palco que circulasse por todo o País', conta Hermano. O segundo especial já está sendo feito em São Paulo e os próximos serão gravados no Rio de Janeiro e em Belém.