Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

06/12/2016 às 16:39

Claro e Oi lideram perdas e outubro tem 3,5 milhões de desativações de chips

Escrito por: Ana Paula Lobo
Fonte: Convergência Digital

De acordo com os dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) nesta segunda-feira, 05/12,  o mês de outubro de 2016 registrou 247.461.510 linhas móveis em operação, uma queda de 3.566.902 linhas em comparação ao mês anterior, o que representa uma redução de 1,42%. Em comparação com outubro de 2015, houve uma queda de 9,62%, redução de 26.354.641 linhas móveis.
 
No décimo mês do ano, os acessos pré-pagos totalizavam 170,12 milhões, queda para 68,75%, e os pós-pagos 77,34 milhões, aumento para 31,25% do total. Desta forma pré-pagos e pós-pagos apresentaram variação de quase 5 pontos percentuais em um ano. 
 
No ranking nacional, a TIM mesmo registrando queda em relação a setembro - 20.783 mil linhas - recuperou a segunda posição e fechou setembro com 63.226.286 milhões de chips ativos ( em agosto foram 63.247.069). Com o resultado, superou a Claro, que teve uma queda brusca - 2,926 milhões de chips e fechou o mês com 60.592.044 milhões de linhas ativas. Em agosto, eram 63.518.464 milhões.
 
A Vivo segue na liderança com 73.509.087 de chips ativos, e registrando ligeira melhora com o acréscimo de 14.294 mil chips. A Oi, em processo de recuperação judicial, teve a segunda maior perda de chips em setembro - 663.041, fechando o nono mês do ano com 45.702.574 (em agosto eram 46.365.615 milhões de chips). A Nextel estagnou e fechou setembro com 2.516.213 milhões de linhas ativas. Em agosto, eram 2.510.357.
 
No comunicado ao mercado, a Anatel justifica a queda informando que a redução do número de linhas é consequência da diminuição do valor da interconexão entre as redes fixas e móveis e do valor de remuneração de uso de rede das prestadoras móveis (VU-M), que permitiu novas ofertas de serviço com redução nos valores praticados para chamadas para a rede de outra prestadora. 
 
Com preços menores para este tipo de chamada, justifica o órgão regulador, o mercado de múltiplos chips perdeu espaço, gerando cancelamentos dos consumidores que possuíam linhas móveis de diferentes prestadores. A agência também alerta que a desaceleração econômica do país também afeta a base de ativação de linhas na telefonia móvel.
 
Em setembro, o LTE, 4G, superou o GSM e passou a ser a segunda tecnologia mais usada no país com 52.613.975 milhões de linhas ativas. O GSM, ou 2G, ficou com 51.550.219. O 3G, ou WCDMA, é a tecnologia mais usada no país com 126.264.374 milhões de linhas ativas.