Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

03/04/2006 às 08:37

Coldplay foi campeã de vendas de 2005

Escrito por: Redação
Fonte: BBC Brasil

A banda britânica Coldplay teve o álbum campeão de vendas de 2005 vencendo nomes como Mariah Carey e o rapper 50 Cent, segundo dados oficiais.

O álbum X&Y vendeu 8,3 milhões de cópias no mundo todo segundo a Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI, na sigla em inglês).

O álbum do Coldplay ficou à frente de The Emancipation of Mimi , de Mariah Carey, que vendeu 7,7 milhões de cópias, e The Massacre de 50 Cent, que vendeu 7,5 milhões.

Os números também mostraram que a venda de música em formato digital triplicou em 2005 mas, no geral, as vendas de música caíram em 3%.

O sucesso do terceiro trabalho do Coldplay, lançado em junho, confirma a posição da banda britânica como uma das mais populares do mundo.

Prêmios O álbum X&Y rendeu dois prêmios Brit ao Coldplay em fevereiro. Mas, durante a cerimônia, o vocalista Chris Martin assustou os fãs ao afirmar: 'Nós não vamos ver vocês por um longo tempo'.

Um porta-voz da banda afirmou que o Coldplay não está se separando e, em breve, deve começar a trabalhar em um novo álbum.

The Black Eyed Peas ficaram em quarto lugar na venda de álbuns, com Monkey Business , seguidos por American Idiot do Green Day.

Madonna ficou em sexto com Confessions on Dance Floor , à frente da vencedora do programa American Idol , Kelly Clarkson.

O valor das vendas de música em formato digital aumentou, chegando a US$ 1,1 bilhão (cerca de R$ 2,42 bilhões) em 2005, dos US$ 400 milhões em 2004 (cerca de R$ 881 milhões).

Mas o rendimento com vendas de CDs e DVDs, que compreende a maior parte do mercado, caiu 6,7%.

Os rendimentos ficaram em US$ 21 bilhões (cerca de R$ 46 bilhões), segundo dados da IFPI.

'A venda de música física (CD e DVD) caiu novamente por uma combinação de razões, incluindo a música digital e a pirataria, competição de outros produtos de entretenimento e a mudança da tendência, com consumidores gastando pela internet e baixando para celulares', disse John Kennedy, presidente da IFPI.