Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

04/12/2013 às 22:31

Comunicações Unificadas: Alcatel-Lucent reage aos rumores de saída do mercado

Escrito por: Redação
Fonte: Convergência Digital

"Não há desabastecimento de produtos. Comunicação Unificada e Data Centers são os nossos negócios.Sobre a venda, qualquer empresa que está no mercado é passível disso", sustentou o diretor-geral da Alcatel-Lucent Enterprise do Brasil, Nuno Ribas, em encontro com a imprensa na capital paulista nesta terça-feira, 03/12.

Os rumores da saída da unidade de redes da Alcatel-Lucent do mercado circulam há meses no mercado, em função da crise da matriz da companhia, a Alcatel-Lucent. A própria venda do ativo - considerado ainda importante para fazer dinheiro - é considerada para reorganizar a fabricante francesa, mas até agora não houve nenhum negócio concluído.

No Brasil, diz Ribas, a empresa segue com a sua rotina normal e descarta qualquer desabastecimento ou falta de suporte técnico para clientes. "São rumores de concorrentes que querem ir à nossa base. O mercado de Comunicações Unificadas passa por uma transformação. Mas não estamos fora dele. Ao contrário. Estamos inovando com ofertas na nuvem", reitera o executivo.

Ribas assume, no entanto, que uma venda da unidade não está descartada. "A Alcatel-Lucent precisa fazer dinheiro e reestruturar suas operações.Mas o que nos foi passado foi para continuarmos nosso trabalho sem nenhuma mudança na rotina. E novos produtos estão chegando para atender aos clientes", frisa.

A venda de serviços na nuvem é uma grande aposta. A Alcatel-Lucent Enterprise terá dois produtos. O Personal Cloud, com a venda direta de serviços - por meio dos canais da companhia - para os clientes. O software de comunicação unificada ficará nos data centers da empresa nos Estados Unidos e na França.

"Nesse momento não há plano para termos um data center no Brasil. Vamos ter que avaliar a demanda, mas o cliente terá uma cloud privada conosco, por meio da contratação dos serviços dos nossos parceiros", explica Marcos Silva, gerente de soluções de Comunicação. A intenção da empresa é ter esse serviço disponível para clientes já em janeiro de 2014. "Acreditamos que terá uma boa saída porque há uma forte redução de custos e a nossa solução permite um melhor uso da rede", completa.

A segunda alternativa é a negociação com as operadoras de telecomunicações para a venda no modelo de serviços da solução da empresa. A GVT já é uma parceira nessa área, mas a intenção é ampliar para todas as outras teles que estão apostando na oferta de cloud computing. Mas o esforço não vai parar nas teles.

Os provedores de serviços como a Amazon e os próprios data centers também são alvos a serem conquistados. "O cliente terá o serviço de todas as formas possíveis. O mercado de comunicação unificada, agora, tem tudo para deslanchar. Há uma melhor rede e os preços estão mais acessíveis. A mobilidade impulsiona a área", completa Silva.