Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

02/10/2013 às 15:00

Convidado da Feira de Frankfurt, Brasil vê oportunidade de exportar cultura

Escrito por: Redação
Fonte: G1

Rio de Janeiro, 2 out (EFE).- A ministra da Cultura, Marta Suplicy, afirmou nesta quarta-feira que a participação do Brasil como convidado de honra na Feira do livro de Frankfurt pode contribuir para aumentar as exportações e "fortalecer" a imagem literária e cultural do país.

Suplicy destacou em entrevista coletiva que a eleição do Brasil como país convidado da feira "vai aumentar as possibilidades de exportação de serviços e bens culturais".

A participação do Brasil em Frankfurt, que acontecerá entre os próximos dias 9 e 13, "chega em um momento muito oportuno para a promoção da imagem do país e para o fomento do mercado editorial e da literatura".

Paralelamente à feira, a Biblioteca Nacional do Brasil informou hoje que aumentou os fundos do programa destinado a fomentar a tradução de obras literárias brasileiras a outros idiomas.

O chamado "Programa de Apoio à Tradução e Publicação de Autores Brasileiros no Exterior "oferece ajuda econômica a editoriais estrangeiras que traduzam obras publicadas no Brasil.

A coordenadora para a internacionalização da Biblioteca Nacional e coordenadora do programa, Moema Salgado, explicou a Agência Efe que "o objetivo não é pagar o custo completo da tradução, mas incentivar as editoras a traduzirem aos autores brasileiros".

Moema disse que "as editoras pequenas precisam este tipo de ajuda para a tradução de obras", embora tenha dito que também são subvencionadas grandes empresas "como a Santillana na Espanha".

O programa iniciado em 2010 teve um orçamento de R$ 93 mil em seu primeiro ano e aumentou gradativamente até chegar aos R$ 2 milhões de 2013, ainda em execução.

Desde 2010 a Alemanha é o país que mais aproveitou os incentivos, com 82 obras traduzidas, seguida pela Espanha, com 46, e França, com 41.

Na Feira de Frankfurt serão apresentados 260 livros do Brasil, entre eles 117 obras que foram traduzidas para o alemão com este programa e outros incentivos oficiais. EFE