Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

16/01/2014 às 14:21

Daniel Dantas ameaça censurar editora judicialmente por lançar "Operação Banqueiro" Assine nossa Newsletter Enquete

Escrito por: Redação
Fonte: Portal Imprensa

O banqueiro Daniel Dantas ameaçou censurar com interdições judiciais a editora Geração Editorial por publicar o livro "Operação Banqueiro", do jornalista Rubens Valente, e lançado na última sexta-feira (10/1). Ele argumenta que o autor utilizou materiais ilícitos em suas investigações. A obra traz revelações e novas provas sobre as ações do empresário e do Banco Opportunity.

O material em questão apresenta, entre outros documentos, e-mails obtidos pela Polícia Federal (PF) na casa do consultor Roberto Amaral, que prestou serviços a Dantas entre 2001 e 2002. De acordo com a obra, as mensagens sugerem que o banqueiro solicitou auxílio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e de outras autoridades, entre elas José Serra (PSDB), para impedir as investigações. Outro aliado de Dantas seria Gilmar Mendes. O empresário contava com seu apoio  numa disputa com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Em nota divulgada na última quarta-feira (15/1), o publisher da Geração Editorial, Luiz Fernando Emediato, afirmou que no dia 9 deste mês, véspera do lançamento do livro, Dantas emitiu uma notificação extrajudicial em que ataca a citação na obra de processos e inquéritos instaurados contra ele. Os advogados do banqueiro alegam que a publicação das informações sujeita a editora "à responsabilização pelos danos causados" a Dantas e a seu banco.

Emediato disse que há, na notificação enviada, reconhecimento de que pode ter havido uma leitura superficial da obra, já que o preparo e envio ocorreu antes do lançamento. O jornalista e a editora afirmam não ter utilizado nenhum material ilícito e que os dados obtidos são de documentos e inquéritos policiais e administrativos de interesse público.

"Caso prosperasse a tese desenvolvida pelo banqueiro e contida na peça ameaçadora de seus advogados, todos os jornais e revistas do país, todas as emissoras de televisão e todas as editoras estariam impedidas de divulgar quaisquer investigações desenvolvidas, por exemplo, pela Polícia Federal", explicou o publisher.