Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

15/09/2015 às 13:50

Dois terços dos lares conectados usam redes WiFi

Escrito por: Luís Osvaldo Grossmann
Fonte: Convergência Digital

Enquanto confirma a popularidade dos dispositivos móveis para acesso à internet no Brasil, a nova edição da pesquisa TIC Domicílios dá uma dica de porque celulares, notebooks e tablets estão cada vez mais associados à navegação na rede: 66%, ou dois em cada três lares com internet no país, dispõe de redes WiFi.
 
É quase o mesmo percentual dos lares que contam com banda larga fixa (67%) para acessar a rede, bem acima dos 25% que indicaram se conectar por meio da rede móvel 3G. Por banda larga fixa a pesquisa do Cetic.br entende os acessos DSL, os cabos de cobre, principal forma de conexão, com 27% do total, seguido pelo cabo (26%), rádio (9%) e satélite (5%). Ainda há 2% de acesso discado.
 
Colhidos entre outubro de 2014 e março deste 2015 em 19 mil residências, os dados mostram uma curiosidade facilitada pelo uso de redes domésticas sem fio: 14% dos domicílios com acesso compartilham a conexão com vizinhos. O número é significativo, apesar da ressalva do coordenador da pesquisa, Winston Oyadomari, de que essa “é uma questão polêmica do ponto de vista regulatório”.
 
São dados que apontam para a barreira econômica da inclusão digital. Segundo a pesquisa, em 18% dos lares paga-se até R$ 30 pela principal conexão – com uma notável concentração (38%) dos domicílios com renda de até um salário mínimo nesse patamar. Em 11%, 12% e 10% dos lares paga-se, respectivamente, até R$ 50, R$ 60 e R$ 70 pelo principal acesso. Só 2% pagam mais de R$ 150.
 
Não surpreende, portanto, que o ‘custo elevado’ ainda se mantenha como o principal motivo apontado pelos domicílios que não têm acesso à internet, com 49%, acima da ‘falta de computador’ (47%), ‘falta de interesse’ (45%), ‘falta de necessidade’ (40%), ‘falta de habilidade’ (30%) e ‘falta de disponibilidade do serviço’ (18%).
 
A TIC Domicílios 2014 mostra, ainda, que 35% das conexões são de até 2 Mbps (sendo 5% de até 256 kbps), 9% de 2 a 4 Mbps, 8% de 4 a 8 Mbps, e 23% acima de 8 Mbps. As atividades mais citadas na rede foram enviar mensagens (83%), usar redes sociais (76%), compartilhar conteúdos (67%), usar e-mail (64%), procurar informações (63%) e assistir filmes ou vídeos (58%).