Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

23/04/2012 às 20:21

Economia criativa brasileira será apresentada no Catar

Escrito por: Neila Baldi
Fonte: Ministério da Cultura

A secretária da Economia Criativa, Cláudia Leitão, do Ministério da Cultura, viaja amanhã à noite para o Catar, onde participa do “Diálogo político sobre economia criativa”, na próxima quinta-feira (26). O debate faz parte da XIII Conferência Ministerial da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (Unctad, na sigla em inglês), que reúne ministros de Estado e funcionários do alto escalão governamental de diversos países.

O “Diálogo político sobre economia criativa” irá discutir os principais resultados do “Relatório da Economia Criativa 2010” da Unctad, visando apoiar os governos na opção por este segmento para o desenvolvimento de seus países. Segundo o documento da Unctad, os setores criativos são os que mais crescem com sustentabilidade e inclusão. De 1980 a 1998, o volume de recursos no comércio internacional desses segmentos cresceu de US$ 95,3 bilhões para US$ 387,9 bilhões. O levantamento aponta que, em 2010, a China era a maior exportadora mundial de bens criativos, com 20,87% do mercado, enquanto o Brasil era o 35º, com 0,30%. “Se somos a sexta maior economia do mundo e temos uma riqueza e diversidade cultural, podemos ter melhores resultados econômicos usando a nossa criatividade”, afirma Cláudia Leitão. Ela lembra que o MinC já está trabalhando neste sentido e que as ações da secretaria serão apresentadas no Catar.

Durante o encontro, a proposta é que os diversos países presentes discutam como colocar em prática políticas apropriadas para a economia criativa, como atrair investidores para este segmento, como melhorar a comercialização e distribuição de alguns produtos da economia criativa e como promover um desenvolvimento sustentável e inclusivo.

A secretária irá participar do segundo painel do encontro, denominado “A construção de uma economia inclusiva e criativa”, junto com representantes da Austrália, Zâmbia, Trinidad Tobago, Tailândia e Canadá. Na oportunidade, os palestrantes falarão sobre os desafios e as oportunidades para melhorar a economia criativa em seus países. Entre outros temas, Cláudia Leitão abordará as primeiras ações da SEC e apontará propostas para o desenvolvimento de regiões mais pobres por meio da economia criativa e a inclusão dos jovens neste segmento.

A criação da Secretaria da Economia Criativa foi um desejo da ministra Ana de Hollanda, visando colocar a cultura como eixo do desenvolvimento do país. Apesar de ainda estar em fase de estruturação, a secretaria – hoje formalmente ainda como de Identidade e Diversidade – já vem desenvolvendo uma série de ações na área, como o lançamento do seu Plano, em setembro passado, o conveniamento com cinco estados (Acre, Pernambuco, Goiás, Minas gerais e Rio Grande do Sul) para a criação dos Criativas Birôs – escritório de apoio a empreendedores criativos – e o Prêmio da Economia Criativa, com dois editais, cujas inscrições encerram-se dia 30.