Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

25/07/2006 às 08:47

Em mostras e na TV, as várias faces de Raul Cortez

Escrito por: Redação
Fonte: Estado de São Paulo

Muito se falou de Raul Cortez, morto na semana passada. Resta agora relembrar a parte do seu trabalho que ficou registrada e, para isso, a Cinemateca dá um pequeno passo, trazendo dois filmes dos quais o ator participou - Vereda da Salvação (1965), de Anselmo Duarte, e Lavoura Arcaica (2001), de Luiz Fernando Carvalho. É pouco, diante dos 28 trabalhos que realizou para o cinema.

Pouco, mas já é alguma coisa. No filme de Anselmo Duarte, o personagem de Cortez é o de um fanático religioso que procura explorar o desespero de camponeses sem terra. Esta adaptação um tanto pesada da peça de Jorge Andrade favorece no entanto o trabalho de Cortez, que sabia trabalhar tanto no registro contido quanto no próximo ao histrionismo.

Já em Lavoura Arcaica, temos uma participação que, se não é tão extensa, parece marcante. Nesse filme denso, às vezes sobrecarregado de literatura, a cena do pai (Cortez) e seu discurso à mesa permanecem na memória como um dos momentos marcantes do cinema brasileiro atual.

É curioso também que um dos melhores trabalhos de Raul Cortez apareça na mostra do Centro Cultural São Paulo dedicada a Anselmo Duarte. É que, em companhia de Duarte, Cortez viveu um dos seus grandes papéis no cinema em O Crime dos Irmãos Naves, de Luis Sérgio Person. Trata-se da violenta história de um erro judicial acontecido em Araguari (MG), no qual dois irmãos são inculpados por um crime que não cometeram. O truculento policial é vivido por Anselmo, enquanto Cortez interpreta um dos irmãos. Um papel marcante.

Também o Canal Brasil se incorpora às homenagens ao ator, colocando vários dos seus filmes em sua programação. De hoje a sexta serão apresentados no canal 66 da Net, sempre às 20h, , os longas Janaína, a Virgem Proibida (1972), Capitu (1968), Tempo de Violência (1969) e Roberto Carlos a 300km por Hora (1971). No sábado, passa o último trabalho de Raul Cortez nas telas - O Outro Lado da Rua, este às 23h.

Vale a pena destacar este último filme de Raul porque se trata de um trabalho sensível, em tema que já vem se incorporando ao repertório dos cineastas - a questão da terceira idade. Num registro delicado, Marcos Berstein trata da relação entre dois personagens, vividos por Raul Cortez e Fernanda Montenegro, envolvidos tanto no plano dos sentimentos quanto numa trama policial. Às vezes um pouco acadêmico no tratamento, o filme não esconde porém o talento dos seus protagonistas. Raul Cortez imprime aseu papel a densidade que costumava aplicar em seus trabalhos no cinema, arte que tinha em grande conta, apesar da fama conseguida no teatro e na TV.

(SERVIÇO)Raul Cortez - Vivendo o aqui e o agora. Hoje, 15h10 e 20h10, Lavoura Arcaica, de Luiz Fernando Carvalho; 18h10, Vereda da salvação, de Anselmo Duarte. Sala Cinemateca. Largo Senador Raul Cardoso, 207, tel. 5084-2177, ramal 210. Grátis