Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

15/01/2016 às 17:17

Em nova charge, "Charlie Hebdo" retrata menino refugiado como estuprador

Escrito por: Redação
Fonte: Portal Imprensa

O semanário satírico francês Charlie Hebdo virou alvo de outra polêmica nesta semana. Desta vez, a publicação foi criticada por uma charge sobre a morte de Aylan Kurdi, menino sírio morto afogado em setembro de 2015 em uma praia turca.
 
A ilustração, assinada pelo editor Laurent Sourisseau, mais conhecido como Riss, mostra um homem correndo atrás de uma mulher. A manchete questiona: "Migrantes: no que teria se transformado o pequeno Aylan se tivesse crescido?".
 
A resposta vem em seguida, com a legenda: "Apalpador de bundas na Alemanha", em referência às agressões sexuais registradas no país na noite de Ano Novo. Grande parte dos suspeitos seriam refugiados.
 
"É nojento, mas vamos ignorar", escreveu Tima Kurdi, a tia de Aylan, em sua conta no Twitter. Ela vive no subúrbio de Vancouver, no oeste do Canadá, acompanhada de seu irmão, a mulher dele e seus três filhos.
 
Em entrevista à CBC, Tima falou sobre a dor dos familiares. "Desejo que as pessoas respeitem a dor da nossa família, que não é mais a mesma desde a tragédia", lamentou. 
 
Internautas franceses de outras nacionalidades criticaram o desenho e disseram não entender o sentido dele. Também acusaram o semanário de promover racismo. O Charlie Hebdo ainda não se posicionou sobre a polêmica.