Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

17/08/2016 às 14:16

Empresa Mineira de Comunicação está sendo 'antidemocrática', reclama sindicato

Escrito por: Redação
Fonte: Comunique-se

O governo de Minas Gerais está trabalhando para criar a sua mais nova companhia de mídia pública. Chamada de Empresa Mineira de Comunicação (EMC), a ação que está sendo estruturada recebeu críticas por parte do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do estado. Em nota de repúdio divulgada na última semana, a entidade afirmou que a concepção do projeto tem sido feita de forma “antidemocrática”.
 
De acordo com o sindicato, um dos erros do governador Fernando Pimentel (PT) e de sua equipe é conduzir a criação da empresa pública sem a presença de “entidades de representação dos trabalhadores e da sociedade”. A instituição jornalística não é, porém, a única a se posicionar contra o modelo que vem sendo adotado para a elaboração da EMC. A nota de repúdio também é assinada pela Associação dos Servidores Públicos da Rede Minas (Asprem) e pelo Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público do Estado de Minas Gerais (Sindpúblicos-MG).
 
“A maior preocupação trabalhista dos servidores da Fundação TV Minas é a carga horária de 40h semanais, incompatível com a Lei Federal que rege as atividades de jornalistas e radialistas e diferente da carga horária dos funcionários da Rádio Inconfidência. Pelo projeto do governo, trabalhadores com as mesmas funções terão condições de trabalho diferentes, com a criação da EMC”, reclamam as três entidades, ao citar as duas emissoras públicas mantidas atualmente pelo Executivo mineiro.
 
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais alega que em resposta às críticas, o governo estadual chegou a criar grupo de trabalho para discutir os temas e entender melhor as reinvindicações das entidades. O SJMG pontua, porém, que o poder Executivo agiu de forma inexplicável ao fazer com que a Assembleia Legislativa aprovasse lei em relação à criação da EMC, em projeto que ignora os pedidos.
 
“Não podemos aceitar essa postura antidemocrática de um governo que foi eleito prometendo ouvir as pessoas, mas ignora as representações e os interesses dos jornalistas e demais servidores públicos. Para denunciar tal atitude e expressar o inconformismo dos trabalhadores diante da criação da EMC no modelo configurado pelo governo convocaremos uma paralisação de protesto para os próximos dias”, finaliza o sindicato.