Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

21/05/2014 às 09:33

Empresas dos EUA relatam mais ataques e espionagem cibernéticos

Escrito por: Redação
Fonte: ABINEE

Empresas dos EUA relatam mais ataques e espionagem cibernéticos

- 21/5/2014

O número de companhias americanas preocupadas com a cibersegurança mais que dobrou nos últimos dois anos, segundo análise de dados oficiais. Enquanto o governo dos EUA se prepara para uma possível retaliação de Pequim após ter acusado cinco militares chineses de espionagem comercial e invasão de computadores de grandes empresas americanas, os números indicam uma crescente ansiedade do setor corporativo em relação à segurança na internet.

O número dos relatórios anuais 10-K encaminhados à Securities and Exchange Commission (SEC) que mencionam a segurança na internet aumentou de 519, nos doze meses até maio de 2012, para 1.174 nos últimos doze meses.

O aumento ocorre depois da pressão que a SEC vem fazendo desde 2011 por uma maior abertura nos relatos de ataques cibernéticos. As empresas vêm relatando ataques crescentes e cada vez mais complexos. A Chrysler, o braço americano da Fiat Chrysler, disse em março estar sendo ameaçada por ataques de hackers "cada vez mais sofisticados e frequentes".

Entre os setores que mostram uma preocupação crescente estão os de bancos comerciais, em que o número de relatos citando ataques de hackers subiu de 36 para 81 em dois anos, e o de produção de petróleo e gás, que mostrou um aumento parecido, de 28 para 62.

Os números ajudam a explicar a decisão do governo americano de reagir à suposta espionagem cibernética acusando cinco militares da Unidade 61398, do Exército chinês, de invadir computadores da Alcoa, Allegheny Technologies, US Steel, Westinghouse Electric, SolarWorld e do sindicato United Steelworkers Union.

Ontem, a China acusou os EUA de usar "duplicidade de critérios", alertando que vai adotar medidas retaliatórias. A reação nervosa demonstra os possíveis riscos que as empresas americanas poderão enfrentar na China. Citando informações da Agência Estatal de Informação da Internet, a agência de notícias estatal Xinhua disse que ataques cibernéticos provenientes dos EUA "controlaram diretamente" 1,18 milhão de computadores na China nos últimos dois meses.

O governo chinês proibiu departamentos do governo central de instalar em seus computadores o sistema operacional Windows 8, o mais recente da americana Microsoft, segundo uma informação divulgada em 16 de maio. A China vem tentando reduzir os riscos de segurança de softwares desde abril, quando a Microsoft parou de dar suporte ao XP.