Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

28/10/2013 às 16:51

Espionagem provoca 'pico de ansiedade' com serviços na nuvem no Brasil

Escrito por: Redação
Fonte: Convergência Digital

Durante o Futurecom 2013, realizado no Rio de Janeiro, fornecedores de serviços e operadoras discutiram o momento da computação em nuvem no Brasil. Indagados sobre o impacto das ações da espionagem dos Estados Unidos nos negócios locais, todos admitiram que a vertical governo foi a mais afetada e muitas negociações foram interrompidas ou retomadas. No mercado privado, o impacto foi bem menor. No todo, fornecedores dizem que o episódio pode trazer um grau de maturidade e determinar uma nova etapa com a adoção de padrões.

"Fomos procurados pelos gestores públicos sim. Eles estão pressionados a reverem suas opções", observou Fernando Zangrande, da TIVIT Brasil. Posição compartilhada por Nelson Serranegra, diretor de Vendas da Algar Tecnologia. "O governo realmente parou para pensar. O importante desse episódio todo é que está acontecendo uma reflexão e se entende a necessidade de regras mais claras".

O diretor da Telefônica/Vivo, Mauricio Monteiro de Azevedo, também diz que a empresa percebeu uma parada por parte da vertical governo. Mas disse que para as empresas privadas, a espionagem não mudou o rumo. "Para essas empresas, a vida continua como ela é". Por sua vez, o diretor da Alcatel-Lucent Brasil, Juan Pablo Anadón, observa que o mercado de cloud vive um momento de 'pico de ansiedade', mas que há pontos positivos. O principal deles: a necessidade de se pensar em uso de padrões.

"É bom que tudo isso aconteça agora que serviços de cloud e virtualização estão sendo formatados. Podemos criar um novo elo de confiança". O vice-presidente da Oracle, Fernando Lemos, salienta que a contratação de cloud - que acontecia por departamentos e de forma mais artesanal - agora vai passar por um novo ciclo. "É uma adaptação aos novos tempos".

Posição também defendida pelo diretor de Serviços da NEC América Latina, Pedro Mouradian. Segundo ele, a espionagem trouxe à tona questões como governança de TI. "  Isso vai nos fazer subir um degrau na maturidade do uso das tecnologias, que são irreversíveis. Elas vão seguir em frente". Se há, hoje, um arranhão na confiança no uso de cloud, ela será revertida rapidamente, aposta o diretor da EMC, Marcio Kanamaru.

Segundo ele, as grandes empresas que já começaram a jornada da computação em nuvem já perceberam os benefícios de ter TI como serviço. "O negócio continua. Não dá para mudar. As clouds híbridas estão acontecendo", diz. O Convergência Digital mediou o painel sobre Computação em Nuvem no Futurecom 2013 e mostra o posicionamento dos participantes sobre o tema espionagem. Assistam.