Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

14/12/2015 às 13:42

Ex-militar chileno é detido após relatar crimes da ditadura em programa de rádio

Escrito por: Redação
Fonte: Portal Imprensa

Ex-militar foi detido após relatar mortes de opositores durante a ditadura em programa de rádio

O ex-militar Guillermo Reyes Rammsy, de 62 anos, surpreendeu os ouvintes do programa "El Chacotero Sentimental" ("O piadista sentimental", em tradução livre), da rádio Coração, de Santiago, ao relatar os crimes que cometeu durante a ditadura militar no Chile (1973-1990).
 
De acordo com a BBC, identificado apenas como Alberto, o taxista e morador de Valparaíso telefonou para falar sobre um  romance e logo começou a confessar mortes de presos políticos ocorridas pouco depois do golpe de Estado do general Augusto Pinochet.
 
O homem contou ao apresentador Roberto Artiagoitía que os desaparecidos na ditadura não foram localizados porque "estão totalmente desintegrados". "Chorei na primeira vez, mas o tenente dizia: 'Bom soldado, bom soldado, soldado valente'. Logo, 'pum, pum' outra vez. Na segunda vez eu gostei, curti, era melhor que maconha", relatou.
 
Rammsy justificou que "foi obrigado" a cometer os crimes, pois se não tivesse cumprido ordens teria sido assassinado pelos militares. Aproximadamente três mil pessoas morreram durante a ditadura no país.
 
Em entrevista ao jornal Las Últimas Noticias, o apresentador disse que o depoimento do ex-militar foi "arrepiante e de muita frieza". A polícia iniciou a investigação na rádio. As autoridades usaram a gravação e os detalhes das declarações. O juiz especial para processos de direitos humanos, Mario Carroza, emitiu mandado de prisão e Rammsy foi interrogado.
 
O juiz determinou prisão domiciliar e denunciou o ex-militar por dois homicídios registrados no centro de presos políticos de Pisagua, localizado no norte do Chile. Ele ponderou que deve avaliar a atitude de colaboração de Rammsy ao julgar o caso.