Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

11/04/2018 às 20:49

Facebook: 'Não somos um risco à competitividade no setor de Tecnologia'

Escrito por: Redação
Fonte: Convergência Digital

Em um depoimento de quase cinco horas, o presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, respondeu as perguntas de deputados na Câmara dos Estados Unidos nesta quarta-feira, 11. Nesta terça-feira, 10, o executivo passou por uma sabatina no Senado. Os deputados foram bem mais ácidos do que os senadores. No depoimento, Zuckerberg afirmou que o Facebook está estudando entrar com processos judiciais contra a Cambridge Analytica e Alexander Kogan, o desenvolvedor que criou o teste usado para coletar informações de usuários da rede social. 
 
Mas a decisão não sensibilizou aos deputados. Uma das mais críticas à atuação da rede social, a parlamentar Anna Eshoo, foi taxativa: “Eu acredito que o dano à nossa democracia causado pelo Facebook e sua plataforma é incalculável”. Eshoo fez duros questionamentos sobre a postura da empresa ao lidar com a exploração das informações de usuários pela Cambridge Analytica. Em resposta a uma das perguntas, Zuckerberg, pela primeira vez, chegou a afirmar que ele mesmo também teve seus dados pessoais vendidos à Cambridge Analytica.
 
Zuckerberg voltou a demonstrar que o Facebook está disposto a discutir uma regulamentação de empresas que lidam com grandes bases de dados. “Minha posição não é a de que não deve haver regulação, mas de que forma ela vai ser aplicada.” Ele, no entanto, não respondeu se é favorável ou não à lei europeia de proteção de dados pessoais. "Eu preciso pensar sobre isso", completou.
 
O presidente da comissão, Greg Walden, questionou se, ao expandir sua atuação para áreas tão diversas como a transmissão de eventos esportivos e transferência de dinheiro, o Facebook havia se tornado uma companhia de mídia e de serviços financeiros. Zuckerberg ressaltou ainda que a atuação do Facebook não é um risco à competitividade no setor de tecnologia e um impeditivo ao surgimentos de novas empresas. “O americano médio usa oito apps diferentes para se comunicar”, afirmou aos parlamentares. Mas é bom lembrar que o Facebook é dono também do Messenger, do Instagram e do WhatsApp, ou seja, de metade dos apps usados pelos norte-americanos para se comunicarem.
 
*Com informações do portal G1 e de agências de notícias