Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

11/04/2012 às 01:39

Feira Art Rio pretende expandir área de atuação

Escrito por: Redação
Fonte: Valor Online

Foi-se o tempo em que o carioca, quando queria ver uma boa exposição de artes, pegava a ponte aérea. As filas do Centro Cultura Banco do Brasil nos fins de semana estão aí para provar que a cidade já tem boas atrações culturais no mundo das artes plásticas. Mas um evento que marcou a cidade em setembro do ano passado agora promete movimentar a cidade o ano inteiro. A Feira Art Rio - que, em 2011, atraiu para o Cais do Porto 46 mil pessoas e vendeu R$ 120 milhões em obras - se transformou numa empresa que vai realizar eventos o ano inteiro, incluindo a segunda edição da feira, que será realizada em setembro. "Quando o evento acabou, em 2011, nós nos reunimos para discutir o conceito e decidimos que a Art Rio deveria ser muito mais que uma feira anual de artes. Ela passará a ser um grande guarda-chuva do negócio.

A feira em si será apenas o grande momento, a cereja do bolo. Mas agora vamos trabalhar o ano todo", diz o empresário Luiz Calainho, que é sócio da empresa, junto com o também empresário Alexandre Accioly, a artista plástica Brenda Valansi e a curadora Elisangela Valladares. Segundo Calainho, a ideia é expandir o negócio e transformar a cidade do Rio em cidade das artes. "Vamos fazer parcerias institucionais, promover intercâmbios e eventos em vários locais. Não só em museus, mas em áreas abertas", afirma Calainho.

Uma das propostas é montar exposições conjuntas em vários museus ou apontar em um site que está sendo construído um circuito de artes na cidade. "Por exemplo, se uma pessoa quiser conhecer as obras de Ernesto Neto expostas na cidade, entrará no site e montará um circuito para visitar os museus ou galerias", conta Brenda Valansi. Os circuitos serão montados por curadores. Além disso, o site também terá uma agenda completa de todos os eventos da cidade e de boa parte do país.

Segundo Calainho, os roteiros podem incluir o pôr-do-sol do Arpoador ou um passeio pelo Jardim Botânico. "O nosso lema é "Art Rio, o Rio é arte o tempo todo em toda parte". Estamos aglutinando tudo dentro dessa bandeira", diz Calainho. O empresário conta que as parcerias com os museus já estão adiantadas e que o site entra no ar agora em abril.

Outros projetos são fazer constantes ciclos de palestras em áreas como o Parque Lage e a Escola do Saber e um programete de rádio na SulAmérica Paradiso, rádio da qual a dupla Calainho e Accioly é sócia. Neste ano, a feira que deu início ao projeto será 50% maior. "Com o sucesso, foi mais fácil este ano reunir galerias. Tivemos 200 inscritas e o grupo de curadores já aceitou 90. Nossa expectativa é de que fechemos com 120 no total", conta Brenda. Em 2011, foram 83. Os empresários acreditam que com isso, as vendas cheguem a R$ 150 milhões, com 60 mil visitantes. "Apesar de ser uma feira do negócio das artes, ela é bastante democrática", diz. Os empresários agora buscam patrocinadores para o evento.

No ano passado, além de verba de R$ 3 milhões, R$ 1 milhão da prefeitura do Rio e R$ 2 milhões do Estado, além de isenção de ICMS na venda das obras de arte, o evento contou com o apoio do banco Itaú e da operadora de telefonia Oi. Com o crescimento, os empresários agora querem vender diferentes cotas. A principal, batizada de "apresenta", está sendo negociada com dois grandes bancos. Além desta, serão cinco cotas de patrocínio e quatro de apoio. "Teremos patrocinadores únicos por segmento. Além disso, estamos desenvolvendo modelos de ativação e de entregas exclusivas", diz Calainho.