Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

09/11/2012 às 08:48

Folha: 'MEC reconhece erro ao desclassificar candidata por foto publicada na internet'

Escrito por: Demétrio Weber
Fonte: O Globo

Participante que postou a imagem é homônima da que foi eliminada  

O Ministério da Educação (MEC) admitiu ontem que uma participante do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foi eliminada por engano, no último domingo. Trata-se da estudante Jacqueline Chen, moradora da cidade de São Paulo, acusada indevidamente de postar na internet uma foto do interior da sala durante a realização do exame, o que é proibido.

O próprio ministro da Educação, Aloizio Mercadante, admitiu o erro. Segundo ele, quem realmente postou a imagem na web foi uma participante homônima de Jacqueline que fazia o teste no município de Mogi das Cruzes (SP).

- De fato, houve um equívoco porque elas eram homônimas no Facebook. As duas são de São Paulo, uma de Mogi e a outra da capital. E foi retirada de sala a aluna de São Paulo (capital), que, de fato, não tinha cometido nenhuma irregularidade. O celular dela estava lacrado como deveria estar. Houve um erro reconhecido pelo MEC, já comunicado - afirmou Mercadante, após a solenidade de lançamento do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa, no Palácio do Planalto.

O ministro contou ter telefonado para a mãe da estudante eliminada equivocadamente. A jovem, se quiser, poderá fazer em dezembro as provas de Linguagens, Matemática e Redação, aplicadas no domingo, quando ela foi expulsa da sala.

- Já expliquei que ela terá todo o direito de fazer as provas do dia que ela perdeu - contou o ministro.

Mercadante esclareceu ainda que só não falou com a própria Jacqueline porque a estudante estava na escola no momento do telefonema.

- Ela estava na aula. Faz muito bem de continuar estudando. Espero que ela vá muito bem (no Enem). Nós vamos superar isso - disse ele.

MEC PUNIU 65 Candidatos

Ao longo dos dois dias de provas, no último fim de semana, 65 participantes foram eliminados por publicar fotos dos locais de exame feitas com celular em redes sociais como Instagram e Facebook. Muitos desses alunos o faziam sem saber que era proibido.

Durante a aplicação das provas, entretanto, funcionários do MEC estavam monitorando a web. Ao flagrar imagens divulgadas pelos candidatos de dentro das salas do exame, a equipe alertava os fiscais, que tinham a determinação de retirar os alunos da sala e excluí-los do Enem.