Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

04/12/2013 às 09:02

Google enfrenta Amazon e Microsoft no setor corporativo

Escrito por: Redação
Fonte: Estadão

MOUNTAIN VIEW, CALIFÓRNIA - O Google já é responsável por boa parte da vida digital dos consumidores por meio de ferramentas de e-mail, de busca e pelo site de vídeos YouTube. Agora, busca uma participação importante do mercado corporativo, prometendo baixar os preços para o armazenamento de dados em nuvem.

O gigante das buscas tem sido evasivo há anos sobre seu sistema público de computação na nuvem e armazenamento de dados que é alugado a indivíduos e a empresas. Agora, a empresa está detalhando o serviço, que será oferecido para empresas que vão de startups a multinacionais.

Chamado Google Compute Engine, consiste do que a empresa chama de "máquinas virtuais" para o armazenamento de dados na rede, com recursos como encriptação, suporte técnico permanente e opções de descontos.

O objetivo da companhia é participar de um mercado bilionário já disputado por outras gigantes da tecnologia, como Microsoft, IBM e Amazon. É uma batalha que deve ser disputada ao longo dos anos e que promete dar muita dor de cabeça às companhias que hoje dominam o setor.

A tendência atual no setor corporativo é trocar o back-up próprio por pelo aluguel de softwares que salvam as informações na internet. Com essa mudança de paradigma, empresas de menor porte terão acesso a supercomputadores.

Snapchat. Há o exemplo do Snapchat, ferramenta de troca de fotos que já recusou uma oferta milionária do Facebook. O serviço processa cerca de 4 mil fotos por segundo nos servidores do Google, mas só tem 30 funcionários próprios.

A empresa trabalhou em conjunto com um serviço do Google que ajuda pequenas companhias a criar aplicações e foi escolhida pelo gigante das buscas para ser um consumidor de testes em seu serviço na nuvem.

Trabalhar com o Google permitiu que o Snapchat economizasse muito dinheiro para prestar um serviço a seus usuários. "Eu nunca tive um servidor próprio", conta Bobby Murphy, cofundador e diretor técnico do Snapchat.

Trata-se de uma grande mudança em relação ao tempo em que as companhias iniciantes precisavam saber como construir um complexo data center para poder ganhar mercado e disputar o interesse dos usuários da internet.

"As coisas estão mudando incrivelmente rápido. Hoje, criar um novo sistema de servidores pode ser feito em um minuto, enquanto há pouco tempo o mesmo procedimento demorava semanas para ser instalado e testado", diz Chris Gaun, analista na consultoria Gartner.

O serviço da Amazon na nuvem, a Amazon Web Services, foi provavelmente o pioneiro no segmento e atualmente domina este mercado. A Amazon diz ter "centenas de milhares" de clientes, sendo a maior parte deles pequenos e médios empresários.

No entanto, a empresa também conquistou grandes nomes como o serviço de streaming de vídeos Netflix, que parou de construir servidores próprios em 2008 e migrou completamente para o sistema da Amazon no ano passado.

Companhias mais tradicionais, como a 3M, usam a nuvem pública da Microsoft, chamada Azure, para processar imagens de 20 mil pessoas e companhias em 50 países e para analisar o design de diversos produtos. A Microsoft é capaz de processar 100 petabytes por dia, o equivalente a 700 anos de filmes em alta definição.

"As pessoas começaram a construir negócios dentro do serviço da Amazon, mas agora existem quatro grandes players neste segmento", diz o analista da Gartner. "Há agora a chance de o tempo entre uma ideia e sua implementação ficar ainda mais curto."