Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

17/10/2013 às 15:19

Ideologia é motivo para não publicar Sarney, diz editor

Escrito por: Graça Magalhães-Ruether
Fonte: O Globo

Em resposta à carta do senador publicada ontem, Neumann afirma não se intimidar

O editor e filósofo Thomas Neumann, coproprietário da editora Kõnigshausen & Neumann, disse não se intimidar com a ameaça do senador José Sarney de interpelação por meio de um advogado.

Em carta publicada ontem no GLOBO, o ex-presidente respondeu à decisão de Neumann de não distribuir a primeira edição de seu livro "Saraminda" em alemão, já impressa, depois que o consulado do Brasil em Frankfurt deixou de cumprir contrato que previa a aquisição de 500 exemplares.

Para Sarney, Neumann fez contra ele declarações "injuriosas" — em entrevista ao GLOBO, Neumann afirmou que só incluiu o livro em seu catálogo por insistência do consulado e porque "não sabia direito quem era Sarney" "espécie de Berlusconi do Brasil" nas palavras dele.

Ontem, declarando encerrado o projeto de publicação de "Saraminda" em alemão, Neumann reiterou a sua decisão de não distribuir o livro, por motivos principalmente ideológicos.
— Eu sou social-democrata, e depois de tudo o que li sobre o autor decidi que ele não combina com a minha posição ideológica. Na Alemanha, há liberdade de expressão e é permitido dizer isso e tudo o que tinha dito antes — afirmou Neumann.

ENCONTRO HOJE

Por meio de um funcionário do consulado, houve ontem um primeiro contato entre a editora e o novo cônsul do Brasil em Frankfurt, Marcelo Jardim, que prometeu uma investida diplomática para resolver o assunto e salvar a edição alemã de "Saraminda" da destruição. Depois disso, Jardim ligou para a editora Kõnigshausen & Neumann, mas a conversa entre os dois acabou marcada para hoje.

Jardim reafirmou a promessa de cobrir qualquer prejuízo que a editora possa ter tido com o projeto. Indagado sobre como via a carta de Sarney publicada ontem, ele disse que preferia resumir sua opinião em um frase:

— Primeiro, devemos esgotar o meio do diálogo. Podemos resolver tudo com uma boa conversa, isso não é enrolação.

O livro de Sarney chegou a entrar na página 23 do catálogo "Literatura brasileira traduzida para o alemão —- Brasil, um país de muitas vozes —- País homenageado na Feira do Livro de Frankfurt 2013" Mas a editora proibiu a exposição da obra traduzida no pavilhão brasileiro durante o evento, que foi encerrado no último domingo.