Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

11/11/2015 às 13:39

IGF 2015: E no final, se a decisão é de um só?

Escrito por: Miriam Aquino
Fonte: Tele.síntese

Em fóruns de multistakeholders, como fazer quando no final a decisão é de um único agente?

O que fazer em face à representação tão diversificada, ou de multistakeholders, quando, no final do dia, a decisão cabe a um único agente?
 
O Internet Governance Forum (IGF), que está sendo realizado no Brasil, reúne cinco mil pessoas de diferentes partes do globo – ativistas de direitos civis, indústria, acadêmicos, governos de diferentes nações, indústrias, operadoras de telecomunicações, empresas de internet, para  debater, por cinco dias, os mais diferenciados temas relacionados à governança da internet.
 
Organizado pela ONU, e com o apoio do CGI (Comitê Gestor da Internet) aqui, todas as mesas de discussão também são promovidas em busca do consenso, como manda a melhor prática da representação plural.
 
Em estudo apresentado  pela professora Avri Doria sobre a construção de foruns multistakeholders – e como indentificar alguns de seus riscos – a própria estudiosa se fez uma pergunta para a qual a resposta, reconhece, é das mais difíceis. “ E quando, no final do dia, mesmo depois que os debates foram travados com todos os princípios da melhor prática, a decisão couber a um único agente?”
 
Para ela, essa pergunta não tem uma  resposta fácil. Mas, pessoalmente, entende que a decisão tomada por um único agente deve ser acatada por um fórum multistakeholders. “A pessoa e a decisão devem ter legitimidade junto a organização”, defende. “Accountabilty”, acredita  a estudiosa, é o conceito que poderia resolver este dilema.
 
A jornalista viaja a convite do CGI