Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

18/11/2013 às 16:01

Indonésia retira embaixador na Austrália após denúncias de espionagem

Escrito por: Redação
Fonte: Folha Online

A Indonésia chamou de volta seu embaixador na Austrália nesta segunda-feira depois que a imprensa informou que as agências de espionagem australianas tentaram ter acesso a celulares de altos funcionários do governo, classificando o monitoramento como um ato "hostil" que prejudicaria as relações entre os países.

A volta do embaixador marca mais um ponto baixo nas relações entre os países vizinhos desde que o conservador primeiro-ministro da Austrália, Tony Abbott, assumiu o cargo em setembro.

Indonésia já estava descontente com relatos anteriores de espionagem australiana e com as diferenças sobre a questão dos requerentes de asilo que tentam chegar à Austrália via Indonésia.

"Estamos convocando nosso embaixador de volta a partir de Canberra imediatamente para uma consulta", disse o ministro das Relações Exteriores, Marty Natalegawa, aos repórteres. "Eu não sei dizer por quanto tempo, mas eu disse a ele para não trazer apenas bagagem de mão".

O jornal "The Guardian" e a rede de televisão pública da Austrália citaram um documento secreto de 2009 que vazou pelo ex-consultor da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA), Edward Snowden, dizendo que o presidente Susilo Bambang Yudhoyono, sua esposa e altos funcionários foram alvo de vigilância eletrônica da Direção de Sinais de Defesa da Austrália (DSD).

"Isso viola a cada instrumento decente e legal que eu posso pensar em um nível nacional de ambos os países e também em nível internacional. Isso não é nada menos do que um ato hostil e tem um sério impacto sobre as relações bilaterais", disse Natalegawa.

O ministro disse que a Indonésia iria rever a sua cooperação na troca de informações com a Austrália.

"Isto pode afetar o princípio da reciprocidade. Por exemplo, isso implica ter números correspondentes de funcionários nas embaixadas, aqui e na Austrália, que lidam com inteligência", disse ele.

"Isso não significa que estamos expulsando ninguém, não estou a par dos números exatos agora, mas vamos tentar ter número de funcionários correspondente".

"A Austrália tem sistematicamente violado os princípios da democracia e privacidade. Ouvimos alguns esclarecimentos do país, mas não estamos satisfeitos com as respostas sem consideração como se fosse uma coisa natural nas relações diplomáticas espionar outros países".

ESPIONGEM

Relatórios revelaram no mês passado que a embaixada da Austrália na Indonésia tinha sido usada como parte de uma rede de vigilância liderada pelos EUA para espionar a Indonésia, o que provocou uma severa ruptura entre os dois países.

A mídia australiana revelou que as embaixadas do país na Ásia fizeram parte da operação norte-americana de vigilância eletrônica, de acordo com documentos vazados por Snowden.

Os últimos documentos vazados continham uma apresentação de slides que mostrou uma lista de detalhes de telefonia móvel dos líderes indonésios. Um deles mostrou como o DSD tentou ouvir uma chamada de um número desconhecido tailandês para o presidente da Indonésia.

Outro mostrou supostos registros de dados do celular de Yudhoyono, como números chamados e duração das chamadas, durante 15 dias em agosto de 2009.

"É a prática estabelecida de sucessivos governos australianos não comentar assuntos de inteligência", disse um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Austrália em um comunicado enviado por e-mail.

A Indonésia é o vizinho asiático mais próximo da Austrália e um importante aliado estratégico. As relações entre os países já estavam instáveis depois que Abbott propôs em setembro que os barcos de requerentes de asilo na Austrália que vinham pela Indonésia fossem manados de volta.