Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

07/03/2017 às 17:52

ISPs recuperam fôlego e puxam crescimento da banda larga em janeiro

Escrito por: Bruno do Amaral
Fonte: Tele Time

Após uma queda de mais de 100 mil acessos em dezembro, o grupo de provedores regionais (ISPs) voltou a apresentar crescimento em janeiro, sendo responsável por mais de 83% do total de adições líquidas no primeiro mês do ano, segundo dados divulgados pela Anatel nesta segunda-feira, 6. No total, foram 26,761 milhões de acessos, com 174,6 mil adições (0,66%) no mês, o maior crescimento em banda larga desde agosto. No acumulado de 12 meses, o serviço cresceu 5,18%, ou 1,317 milhão de conexões a mais no período.
 
Os ISPs, classificados na Anatel no grupo de "outros" (por não pertencerem aos grandes grupos), totalizaram 2,903 milhões de acessos após um aumento de 145,1 mil conexões (5,26%) no mês, recuperando a queda de dezembro. No ano, o avanço é o maior dentre todos os grupos: 30,71%, ou 682,1 mil adições líquidas.
 
A América Móvil (Claro, Embratel e Net) segue com a maior base no País, com 8,431 milhões de acessos (aumento de 0,23% no mês e 3,48% no ano), seguida da Vivo, com 7,473 milhões (queda de 0,06% e avanço de 2,31%). A terceira maior empresa, a Oi, voltou a apresentar crescimento (0,11%) no mês, totalizando 6,420 milhões de linhas. No ano, o avanço é de 0,71%.
 
Tecnologia
 
No recorte de tecnologia houve tendências atípicas no mês. O acesso que mais cresceu em janeiro foi o Spread Spectrum (transmissões wireless em espectro não licenciado), com 69,5 mil adições (4,09% de avanço), de uma base de 1,771 milhão de conexões e após uma queda de mais de 100 mil linhas em dezembro. O desempenho é três vezes e meia o total de adições líquidas em 12 meses (244,6 mil). Outra que cresceu mais do que o normal foi a Ethernet, com 36,5 mil adições (um terço do total de 12 meses), e uma base de 439,9 mil conexões.
 
Dentre as tecnologias dominantes, as conexões por cabo (Cable Modem e HFC) retomaram crescimento (0,19%), totalizando 8,630 milhões de acessos. Por sua vez, a fibra cresceu 1,72% e ficou em 1,755 milhões de conexões. E a xDSL também apresentou avanço no mês, de 0,09%, totalizando 13,394 milhões de acessos, a maior da base brasileira. No acumulado de 12 meses, os avanços foram, respectivamente, de 34,86%; de 4,11%; e de 0,90%.
 
Velocidade
 
Outra movimentação atípica aconteceu no recorte da Anatel por velocidade: a faixa de conexões até 512 kbps apresentou crescimento de 12,8 mil linhas (1,37%), totalizando 945,6 mil acessos. É a primeira vez que esse grupo apresenta aumento na base desde maio do ano passado (3,6 mil adições), e o maior desde dezembro de 2015 (quando aumentou 72,8 mil linhas). é possível que alguma operadora que não estava informando a agência corretamente anteriormente tenha passado a fazer o reporte agora. Ainda assim, na comparação com janeiro de 2016, são 132,4 mil conexões a menos (12,29%).
 
Também se destaca a volta do crescimento da faixa de 12 Mbps a 34 Mbps, que adicionou 217,6 mil linhas em janeiro (3,35% de avanço), com base de 6,713 milhões de acessos. Assim, esse recorte voltou a ser o segundo maior do País, com 25,09% do total. Entretanto, essa posição é trocada com a velocidade de 512 kbps a 2 Mbps (com 6,676 milhões de acessos), como se pode ver no gráfico de evolução acima.
 
A base ainda é dominada (35,45%) por conexões de 2 Mbps a 12 Mbps, que caíram 0,6% em janeiro. Mas a velocidade acima de 34 Mbps, que aumentou 0,88% no mês, acumula um avanço de 97,56% nos 12 meses, totalizando 2,938 milhões de linhas. Confira no gráfico abaixo.