Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

12/02/2016 às 14:45

Jornal britânico 'The Independent' deixará de ter versão impressa a partir de março

Escrito por: Redação
Fonte: Opera Mundi

Publicação estará disponível apenas no formato online; outros veículos britânicos também vêm sofrendo com crise em meios de comunicação

O jornal britânico The Independent deixará de ser impresso a partir do dia 26 de março, anunciou o dono da publicação, Evgeny Lebedev, nesta quinta-feira (12/02). A partir de então, existirá apenas no formato online.
Quando estava no auge de sua circulação, nos anos 90, o jornal vendia mais de 400 mil exemplares diários. Em 2015, pouco mais de 56 mil cópias foram vendidas por dia, apesar de inovações na diagramação e no tipo e estilo das matérias publicadas.
 
Em 2014, Lebedev já havia dito à BBC que o jornal poderia ser vendido se alguém "oferecesse o preço certo", mas que ele não estava tentando vendê-lo "ativamente".
 
Enquanto isso, a edição web do jornal possui 58 milhões de leitores ao mês, com uma previsão de que esse número aumente 50% em 2016. O Independent será a primeira grande publicação britânica a abandonar o impresso e estar disponível apenas online.
 
“A indústria editorial está mudando e são os leitores que protagonizam essa mudança. Eles nos mostram que o futuro é digital. A decisão preserva a marca Independent e nos permite continuar investindo em conteúdo editorial de alta qualidade que atrai mais e mais leitores às nossas plataformas digitais”, disse Lebedev em declaração.
Estudo arqueológico aponta 'surpreendente' igualdade de gênero em Stonehenge
 
A publicação agora terá um aplicativo de celular e 25 novos recursos digitais estarão disponíveis. O Independent também abrirá sucursais na Europa, Oriente Médio e Ásia; a sucursal dos EUA será expandida.
 
A direção do jornal, no entanto, não disse quantos dos 150 funcionários serão despedidos, mas adimitiu que haverá demissões na transição, que serão confirmadas após um "período de consulta". 
 
Os meios de comunicação no Reino Unido sofreram grandes prejuízos em 2015. As entradas de publicidade caíram £112 milhões (aproximadamente R$ 649 milhões), quantidade equivalente aos gastos com salários do Times, Sunday Times e Daily Telegraph juntos.