Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

27/04/2016 às 15:07

Jornalista e auditores são julgados por revelar o escândalo fiscal LuxLeaks

Escrito por: Redação
Fonte: Portal Imprensa

Começou na última terça-feira (26/4) o julgamento do jornalista Edouard Perrin, da emissora francesa France2, e dos auditores da PricewaterhouseCoopers – Antoine Deltour e Raphael Halet – responsáveis por divulgar em novembro de 2014 o esquema de benefícios fiscais a grandes empresas internacionais, que ficou conhecido como o escândalo LuxLeaks. O caso voltou a ter repercussão após a divulgação dos Panama Papers.
 
De acordo com a Deutsche Welle, os três são acusados de quebra de sigilo profissional e roubo de documentos, após divulgarem milhares de papéis mostrando que empresas – como Apple, Ikea e Pepsi – tiveram benefícios fiscais em Luxemburgo, para evitar o pagamento de impostos em seus países de origem.
 
O escândalo só repercutiu após jornalistas do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ) publicarem relatórios com base nos 28 mil documentos revelados por Perrin, Deltour e Halet.
 
O jornalista francês é acusado por divulgar, ainda em 2012, os documentos mais relevantes sobre a sonegação fiscal. O julgamento de Perrin e dos auditores ocorrerá até o dia 4 de maio. Todos podem ser condenados a penas entre cinco e dez anos de prisão e ao pagamento de uma multa de 1,25 milhão de euros.
 
Para Gerard Ryle, diretor do ICIJ, "denunciantes deveriam ser elogiados, não condenados (...). O relatório de Perrin desencadeou indignação pública sobre a equidade das políticas fiscais e levou a reformas, principalmente na União Europeia", declarou.