Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

13/08/2010 às 13:55

Jornalistas sul-africanos são apresentados à TV Digital nipo-brasileira

Escrito por: Renata Maia
Fonte: Ministério das Comunicações

África do Sul é um dos países da região da África Austral, que deve anunciar, nos próximos meses, qual padrão de TV Digital irá adotar

Brasília - A comitiva de jornalistas sul-africanos que está em visita ao Brasil para conhecer a experiência brasileira de implantação do sistema de TV Digital ISDB-T reuniu-se, na tarde desta quinta-feira (12), com representantes do Ministério das Comunicações. O objetivo do encontro foi discutir as vantagens do padrão nipo-brasileiro, quando comparado aos demais sistemas existentes hoje no cenário mundial.

Na oportunidade, o assessor da Secretaria de Telecomunicações do MC, Flávio Lenz, contou o que fez o Brasil ao optar pelo ISDB-T, destacando, sobretudo, a importância de disponibilizar aos cidadãos brasileiros uma tecnologia que oferecesse não apenas uma TV com imagem em alta definição, mas também com interatividade e mobilidade. O assessor aproveitou para enfatizar que tanto o Brasil quanto o Japão têm se colocado à disposição para cooperar com os países que escolhem o ISDB-T, garantindo que a TV Digital seja implementada de forma muito mais ágil do que vem acontecendo em países que optaram por outros sistemas.

Os quatro jornalistas também puderam esclarecer suas dúvidas, referentes, principalmente, aos custos e à estabilidade do sistema nipo-brasileiro. “Queremos ter a garantia de que, se o nosso país fizer essa opção, não teremos investir numa nova atualização tecnológica num curto ou médio prazo”, explicou uma das visitantes. O assessor esclareceu, então, que a expectativa é que o padrão ISDB-T não sofra alterações a médio prazo, pois a flexibilidade do sistema já permite evolução sem implicar na criação de legados, o que não acontece com o padrão americano, por exemplo.

No encontro, foram citadas, também, as novas oportunidades que a TV Digital trará aos países, tanto no aspecto social, da inclusão digital, quanto para o mercado local. “Sem dúvidas, surgirão muitos negócios para as empresas de telecomunicações, as indústrias e os canais de televisão”, afirmou Lenz. Esse aspecto, aliás, foi também ressaltado pelo secretário de Telecomunicações, Roberto Pinto Martins, que encerrou a reunião revelando que a opção do Brasil pelo ISDB-T foi definida quando o país parou de se perguntar simplesmente “qual o melhor padrão de TV Digital?” e passou a refletir sobre “quais benefícios o Brasil poderá ter com essa nova tecnologia?”.

O grupo de jornalistas visitou também a Casa Civil, a Anatel, a Universidade Presbiteriana Mackenzie e emissoras de TV. A África do Sul é um dos países da região da África Austral, bloco formado por 15 países, que deve se reunir até setembro para decidir qual padrão de TV Digital será adotado na região.

Estiveram presentes no Ministério das Comunicações os jornalistas Adriaan Jacobus Schoch (SABC TV News); Nicola Ann Patrícia Mawson (ITWeb); Thabiso Lucy Mochiko (Business Day) e Zingisa Mkhuma (The Pretoria News).