Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

28/01/2014 às 23:01

Lei de equiparação de profissionais de tecnologia é sancionada, em RR

Escrito por: Redação
Fonte: G1

61 técnicos serão beneficiados com a equiparação salarial.Lei será publicada no Diário Oficial do Estado desta quarta-feira (29).

O governo do estado sancionou na tarde desta terça-feira (28) a lei que equipara os técnicos industriais, de segurança, de telecomunicações e refrigeração aos técnicos agrícolas, alterando o padrão inicial dos cargos no Quadro Geral de Pessoal do Poder Executivo de Roraima, regido pela Lei nº 392, de agosto de 2003. A sanção ocorre quase 20 dias após profissionais da área tecnológica no estado terem iniciado uma greve.

Segundo Lorival Cardoso de Oliveira, presidente do Sindicato os Técnicos Industriais de Nível Médio de Roraima, a alteração vem reparar um erro antigo do governo do estado e 61 técnicos serão beneficiados com a equiparação salarial.

"Esse foi um momento de correção de uma injustiça antiga que é essa diferença entre os técnicos industriais e os técnicos agrícolas. Essa equiparação é um passo importante dentro da pauta de reivindicações do movimento da área tecnológica", declarou Oliveira.

Ele ressaltou que o objetivo do movimento é a aprovação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos engenheiros, juntamente com os agrônomos e tecnólogos. "A nossa luta é junto com os engenheiros na aprovação do PCCR. Nós também fazemos parte desse grupo", enfatizou.

O governador José de Anchieta (PSDB) se reuniu com representantes da categoria dos engenheiros para discutir as reivindicações da classe logo após a sanção da lei.

Balanço
Durante a reunião, Anchieta fez um breve balanço do seu período no Governo de Roraima, concluindo seis anos em 2014.

Lembrou que  assim que assumiu o governo, no fim de 2007, deu preferência ao reajuste no salário dos engenheiros. Nos últimos anos houve a pressão dos profissionais da saúde e segurança.

"Na realidade, de 2010 para cá estamos tentando ajustar a política salarial do nosso governo, que vem sendo desenrolada desde 1991, se tornou uma colcha de retalhos e ainda não se arrumou. É um processo de transição, isso tem impactos financeiros, não foi no meu governo e não será no próximo", afirmou Anchieta.

O governador lembrou que ele também é da área técnica, formado em engenharia, e que em momento algum deu as costas à categoria.

"Começamos a tentar ajustar dentro do limite de responsabilidade fiscal do executivo. Fizemos uma conta e resolvemos segurança e saúde. Agora vamos fazer as contas e chegar a um denominador", acrescentou.