Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

22/01/2016 às 16:30

Marchinha sobre tragédia de Mariana é selecionada em concurso

Escrito por: Nadine Nascimento
Fonte: Brasil de Fato

"O objetivo é engrossar o coro pela responsabilização das empresas e pessoas envolvidas no crime ambiental?, diz compositor de ?Minério não se bebe?.

A marchinha de carnaval 'Minério não se bebe' retrata a tragédia ambiental de Mariana, em Minas Gerais, e é uma das 15 pré-selecionadas do 5o Concurso de Marchinhas Mestre Jonas. "O que era Bento hoje é veneno / Cumé que faz pro homi du campo plantar? / O que era doce hoje acabou-se / Não vale mais, só o amargo ficou", diz a letra.
 
Após dois meses do acontecimento, a letra da marchinha questiona o setor mineral e evidencia a responsabilidade pelo rompimento da Barragem de Fundão, localizada no distrito de Bento Rodrigues. Considerado o maior desastre ambiental do país, o mar de lama com rejeitos, deixou 15 mortos e acabou com vida do Rio Doce.
 
Criação
 
O compositor, Gustavo da Macedônia, ao falar do processo de criação, afirma que a inspiração surgiu "da vontade de ser um agente que participa de ações que contribuam para construirmos um mundo mais saudável e socialmente justo".
 
A marchinha que foi composta especialmente para o concurso, com o tempo, foi ganhando um caráter reivindicatório. "O objetivo é engrossar o coro pela devida responsabilização das empresas e pessoas envolvidas no crime ambiental de Bento Rodrigues. Penso que lutar por nossos recursos hídricos é uma causa louvável", diz o compositor.
 
Ele ainda confessa as dificuldades do processo de composição. "Foi doloroso compor essa música. Ela é melancólica, e não poderia ser diferente, pensei que por isso ela não teria chances de se classificar. Foi uma surpresa [a classificação]".
 
Concurso
 
A música 'Minério não se bebe' seguiu para a próxima fase do concurso, que ocorre nesta sexta-feira (22), em que as dez melhores marchinhas serão selecionadas. “Concurso de Marchinhas Mestre Jonas” homenageia o compositor, cantor e instrumentista belorizontino, que se notabilizou por renovar a estética do samba mineiro -, e conta com a participação de compositores e intérpretes que nasceram em Minas Gerais ou que lá residem.
 
Ouça aqui a marchinha.
 
Saiba mais sobre o caso no especial de um mês da tragédia do Brasil de Fato: http://brasildefato.com.br/node/33389