Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

31/10/2012 às 08:39

Marta: vitória seria 'mais fácil' com ela

Escrito por: Júnia Gama
Fonte: O Globo

Ministra, porém, admite que escolha de Haddad reforça liderança de Lula  

A ministra da Cultura, Marta Suplicy (PT), deixou transparecer ontem que ainda guarda mágoa por ter sido preterida na disputa pela prefeitura da capital paulista. Ela afirmou que, se tivesse disputado, o PT poderia ter ganho "em uma situação mais fácil" e repetiu que a escolha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo nome de Fernando Haddad foi "um risco enorme".

- Eu acredito que o presidente Lula teve tirocínio (aprendizado) político raro, ele foi realmente extraordinário. A escolha mais fácil era a minha candidatura, e poderia ter ganho talvez em uma situação mais fácil. Mas ele escolheu da forma mais difícil, mas que era a mais certa, a renovação - disse a ministra em sua primeira audiência pública no Senado no papel de titular da Cultura.

A ministra aproveitou para reforçar o papel de liderança do ex-presidente sobre os petistas, ampliado pela vitória em São Paulo.

- Depois disso, as pessoas vão pensar duas vezes (para contrariar Lula). A capacidade e a visão política que ele tem é muito grande. Ele reconstruiu o partido com esse gesto que ele fez.

Questionada sobre um eventual auxílio a Haddad na composição da prefeitura, Marta foi categórica e disse que não pretende palpitar:

- A ajuda é com o mínimo possível de gente palpitando. Nesse período que ele teve de preparo para a prefeitura e de conhecimento dos quadros do PT e dos outros quadros que ele já conhecia do Ministério e da sua própria formação acadêmica, ele tem condição de fazer uma boa secretaria.

A ministra afirmou que não descarta disputar o governo de São Paulo em 2014, uma mostra de que a disputa no PT deve continuar.

- Eu estou ministra e adorando ser ministra, acho que tem muita coisa para fazer pelo Brasil. Mas não descarto nunca nada - afirmou.

Além de Marta, estão no páreo, como aspirantes petistas à candidatura, outros dois ministros de Dilma Rousseff: Aloizio Mercadante (Educação) e Alexandre Padilha (Saúde).

Marta abriu mão de disputar a prefeitura de São Paulo, mas cobrou como fatura uma vaga na Esplanada, e já avisou a aliados que pretende concorrer ao governo em 2014. Padilha vem recebendo sinais de preferência do ex-presidente Lula, que aposta na renovação dos quadros políticos em São Paulo.