Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

08/10/2013 às 15:21

MCTI, empresas e centros de pesquisa debatem cidade inteligente para o RJ

Escrito por: Redação
Fonte: Ministério da Ciência e Tecnologia

Um dos legados para 2016 é fazer do Rio de Janeiro uma cidade inteligente. Com estas palavras, o secretário municipal de Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, Franklin Coelho, iniciou o encontro do ministro Marco Antonio Raupp com líderes de empresas como GE, Cisco, Intel, IBM e EMC, além de representantes da Pontifícia Universidade Católica (PUC), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa), do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), do Inmetro e da Assespro. A reunião aconteceu nesta segunda-feira (7), na sede da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), no Rio de Janeiro, após uma agenda de visitas do ministro a duas das sete unidades da rede Naves do Conhecimento.

No encontro foi discutido como o MCTI pode ajudar a cidade do Rio de Janeiro a se tornar um cluster de nanotecnologia, e como empresas, universidades e governos federal, estadual e municipal podem trabalhar de forma cooperada.

Raupp destacou o lançamento da Iniciativa Brasileira de Nanotecnologia (IBN), que tem como objetivo promover o desenvolvimento científico e tecnológico do setor, e falou do Sistema de laboratórios em Nanotecnologia (SisNano).

"Não podemos pensar em nanotecnologia sem ter o envolvimento de empresas no processo. Hoje, no SisNano, temos 26 laboratórios associados e mais de 100 empresas trabalhando neles", disse. "Isso mostra o quanto é importante que as universidades, os institutos de pesquisas e as empresas caminhem juntos para o desenvolvimento da pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) no país".

Centros de pesquisa

Na reunião, também destacou-se a importância dos trabalhos que vêm sendo desenvolvidos nos centros de inovação da GE e da Cisco, no centro de big data implantado pela EMC e nos programas de formação profissional em Tecnologia da Informação (TI) da Intel.

"Temos muito a fazer e a investir em TI e em inovação na indústria do Rio, principalmente no setor de óleo e gás", observou o ministro. "Um dos projetos que está sendo criado pelo MCTI, a Embrapii, poderá ser uma grande aliada no financiamento de pesquisas e na geração de oportunidades para as universidades e empresas cariocas".

Segundo Franklin Coelho, uma das prioridades do prefeito Eduardo Paes é fazer do Rio de Janeiro um modelo de cidade inteligente a ser seguido. Para isso, conta com empresas e universidades para a criação de ecossistemas de TI. "Quando falamos em conceito de cidade inteligente, ele não se restringe só a telecomunicações. Falamos em gestão pública eficiente do tráfego, em sistemas de monitoramento, em sensores, entre outros", ponderou o secretário. "O Rio de Janeiro precisa desta transformação, pois será sede de grandes eventos, que exigem soluções integradas de tecnologia".

 

Texto: Juliana Leite - Ascom do MCTI