Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

05/12/2013 às 19:11

Mercado, surpreeendido com decisão do Cade, acha difícil Telefónica sair da Vivo e aponta para venda da TIM

Escrito por: Redação
Fonte: Tele Síntese

Qualquer solução será bem complexa, apontam analistas

Todos foram surpreendidos. Esta é o único consenso do mercado sobre a decisão de ontem do Conselho Administrativo de Defesa Econômica - Cade. O órgão antitruste brasileiro foi duro contra a Telefónica, mandando que o grupo espanhol ou saia da TIM Brasil ou encontre um novo sócio para a sua operadora, a Vivo, pois viu fortes riscos de concentração no mercado brasileiro de telefonia celular. Os bancos e empresas de análise de risco tentam avaliar o impacto da decisão não apenas sobre as empresas atingidas, mas sobre o mercado como um todo. A maioria das apostas recai sobre a TIM Brasil.

As análises dos bancos estão bastante diversas, em virtude da complexidade da repercussão do caso. Mas os analistas tendem a descartar qualquer mudança no controle da Vivo, e por isto avaliam que a solução só ocorrerá via Telecom Italia ou TIM Brasil.

Para todos, porém, não há saída simples. Alguns relatórios indicam que a solução poderia ser a dissolução da Telco, que controla a Telecom Italia com 22% das ações, mas onde a Telefónica detém 46% do poder de voto (antes do acordo firmado em setembro, que lhe assegurou a possibilidade de assumir o controle da holding a partir de janeiro de 2015). Mas, para isto, os demais sócios - Mediobanca, Intesa e Generalli - teriam que capitalizar a Telecom Italia, o que é pouco provável já que são também vendedores.

A opção mais lógica, então, seria a venda a TIM Brasil, onde a Telecom Italia detém 67% do controle. "Apontaram uma arma para a cabeça do grupo", afirma um analista do Santander. Ele observa que o mercado já tinha erradamente dado como certa a aprovação da consolidação da Vivo, porque o Cade tinha se manifestado favoravelmente ao ingresso da Portrugal Telecom na Oi. Mas, observou, são "processos completamente distintos".

Para analista de outro banco de investimento, a decisão acelera uma solução para a TIM Brasil. Comenta-se no mercado que a Telco estaria negociando com um fundo europeu de private equity a venda da a TIM Brasil para, no futuro, revendê-la fatiada para os atuais players de telefonia móvel. "A decisão do Cade antecipa a solução da TIM", afirma o analista.

Há até mesmo a hipótese de a Telefónica tentar reverter a decisão, fazendo recurso ao próprio Cade, que tomou a decisão por unanimidade. Ou, ainda, adotar uma medida mais radical e partir para a compra integral da TIM Brasil e, depois, negociar com o órgão antitruste os remédios para evitar a concentração desta aquisição.

Portugal Telecom é afetada?

Há mesmo quem considere que, apesar de a operação da Portugal Telecom na Oi já ter sido aprovada pelo mesmo Cade, poderia haver uma reviravolta no caso, pois a decisão de ontem refere-se à BrasilCel, empresa que aglutinava a joint-venture da Telefónica e PT na Vivo.

No fundo, as dúvidas são maiores do que as certezas. Como resumiu o banco Merrill Lynch, "a decisão de ontem contribuiu para adiconar mais complexicadade aos casos de possívels consolidações no Brasil."