Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

04/01/2016 às 15:51

Mídia esconde regressões na Argentina

Escrito por: Altamiro Borges
Fonte: Blog do Miro

Mauricio Macri já escancarou seu jeito autoritário de governar: nomeou por decreto ministros da Suprema Corte e proibiu os piquetes no país

A mídia brasileira, com seus dogmas neoliberais e seu complexo de vira-lata, comemorou a vitória de Mauricio Macri na vizinha Argentina. "Fim do kirchnerismo", soltou rojões. Mas ela poderá morder a língua mais cedo do que tarde. Em menos de um mês da sua posse, o queridinho dos EUA e das elites locais e latinoamericanas já desponta como um ditador de quinta categoria, que poderá incendiar o país vizinho. Os trabalhadores argentinos, conhecidos por sua combatividade, já dão sinais de que não vão aceitar passivamente a truculência do empresário mafioso que agora ocupa a Casa Rosada.
 
Empossado em 10 de dezembro, Mauricio Macri já escancarou seu jeito autoritário de governar. Por decreto, sem a aprovação do Senado, ele nomeou dois ministros na Suprema Corte - o equivalente ao STF no Brasil; por decreto, cassou os mandados dos dirigentes dos dois órgãos que aplicam a "Ley de Medios"; por decreto, proibiu os "piquetes" no país, os tradicionais bloqueios de estradas como forma de protesto social. Para o seu ministério, Macri nomeou agiotas e outros neoliberais de carteirinha. Como plano de governo, ele anunciou que pretende impor um duro plano de austeridade. Ele também voltou a falar em anistia para os generais e torturadores da sanguinária ditadura militar do país.