Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

22/08/2013 às 18:03

Ministro da Cultura da Alemanha é recebido no Senado

Escrito por: Redação
Fonte: Agência Senado

Gorette Brandão

O ministro da Cultura da Alemanha, Bernd Neumann, visitou nesta quinta-feira (22) o Senado Federal, onde foi recepcionado pelo presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), Cyro Miranda (PSDB-GO), e pela senadora Ana Amélia (PP-RS), que também integra o colegiado. O ministro cumpre no país agenda oficial especialmente relacionada ao programa do Ano da Alemanha no Brasil, inaugurado em maio deste ano e que prossegue até maio de 2014.

Bernd Neumann informou aos senadores que em breve será aberta em seu país mais uma edição da Feira do Livro de Frankfurt, considerada a maior do mundo. Neste ano, o país convidado será o Brasil, estando previsto entre as atividades um projeto cultural entre os dois países relacionado ao futebol.

- A maioria dos alemães, ouvindo agora que os brasileiros estão chegando, mesmo que seja para uma feira do livro, pensa logo no futebol e na Copa do Mundo no ano que vem - comentou.

Antes de chegar ao Senado, o ministro havia cumprido agenda na Câmara dos Deputados e também participado de encontro com a ministra da Cultura, Marta Suplicy. Ele informou que transmitiu a Marta a vontade manifestada pela chanceler da Alemanha, Angela Merkel, de que a presidente Dilma Roussef possa estar ao lado dela no evento de abertura do estande brasileiro na Feira de Frankfurt.

O circuito de Bernd Neumann no Brasil também incluiu os estados do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. Como parte da programação, tem havido encontros com políticos, artistas e produtores culturais. Segundo ele, hoje já existe um bom nível de contatos na área cinematográfica, com encontros entre produtores dos dois países.

Orçamento da cultura

Cyro Miranda pediu ao ministro o "segredo da receita" utilizada para ampliar este ano o orçamento de sua pasta, num momento de crise econômica na Europa, que determinou cortes orçamentários nos mais diversos países. Além dos gastos projetados pelo governo, o Parlamento ampliou em mais 100 milhões de euros o orçamento do ministério para 2013, que chega a 1,2 bilhão de euros.

- Nesse ponto somos uma exceção na Europa. Neste ano de 2013 somos o único em 28 países da União Européia onde o orçamento da cultura aumentou. Em todos os demais, ou diminuiu ou, na melhor das hipóteses, estagnou - informou.

Com humor, ele disse acreditar na "confiança ilimitada" de Merkel em sua pessoa, mas afirmou que a ampliação não teve o "dedo direto" da chanceler. De acordo com o ministro, seu maior apoio está de fato no Parlamento, onde os deputados se convenceram de que aumentar os recursos importaria em pequeno impacto, já que os gastos em cultura seriam pouco expressivos em comparação com o orçamento geral.

O orçamento estatal da cultura não se resume aos gastos federais, que representam apenas 12% das despesas totais, com o restante sendo de responsabilidade de estados e municípios. Nos três níveis, as despesas variam de 0,8% a 1,9% do produto interno bruto (PIB) ao ano. No Brasil, a relação fica ao redor de 0,6% do PIB.

Liberdade de expressão

Indagado por Ana Amélia sobre as relações entre a cultura e a mídia em seu país, tema em que é considerado especialista, o ministro observou que essa não era uma questão de resposta fácil. Destacou, porém, como ponto essencial, a reduzida influência do Estado sobre a mídia, especialmente os meios audiovisuais e a imprensa, em relação à programação e ao que é divulgado. Conforme assinalou, "a liberdade é ilimitada".

- Costumamos dizer na Alemanha que a mídia é o quarto poder do Estado, e isso é importante para que uma democracia funcione - comentou.

Em relação ao cinema, porém, admitiu que o governo é bastante ativo em políticas de fomento e promoção, nesse caso inclusive no plano internacional. Disse que o governo alemão se interessa em colocar os filmes nacionais nos festivais ao redor do mundo.

O ministro também mostrou interesse em saber como atua o Legislativo brasileiro e as diferenças de papel entre o Senado e a Câmara dos Deputados.

Agência Senado

(Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)