Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

28/08/2013 às 20:00

Na posse de Guti Fraga, Marta Suplicy anuncia liberação de verbas para três editais da Funarte

Escrito por: Redação
Fonte: O Globo Online

RIO - "A gente tem que multiplicar nossa arte, criar a possibilidade do sonho", disse o diretor teatral Guti Fraga, após sua posse como presidente da Funarte, na tarde desta quarta-feira, no Rio. Guti assumiu oficialmente a instituição em substituição a Antonio Grassi, que deixou o cargo depois de dois anos e meio para ser o novo diretor do Instituto Inhotim, em Minas Gerais. Na cerimônia de posse, a ministra da Cultura, Marta Suplicy, destacou a importância das ações da Funarte e anunciou que vai liberar três editais da fundação que estavam com as verbas contingenciadas: Carequinha, Klauss Vianna e Artes na Rua. Na ocasião, a ministra e o novo presidente da Funarte também assinaram os termos de um novo edital, este para a ocupação dos CEUs das Artes.

De acordo com Marta, 1/3 do orçamento do Ministério da Cultura (MinC) está contingenciado no momento, o que dificulta as ações na pasta. Para 2013, A Lei Orçamentária Anual destinou ao ministério em 2013 cerca de R$ 1 bilhão. O valor bloqueado pelo governo é de cerca de R$ 280,5 milhões.

- É muito difícil trabalhar com 1/3 do orçamento contingenciado - afirmou Marta, em seu discurso na Sala Funarte Sidney Miller, no Palácio Gustavo Capanema, no Rio, onde abordou também algumas prioridades da pasta frente à realidade imposta pelo governo. - Com os CEUs, você qualifica o cidadão para saber o que é arte e, depois, ele vai querer consumir cultura. Aí teremos o vale-cultura. As pessoas têm fome de conhecimento, mas não têm dinheiro. Então o vale-cultura vai entrar para permitir que elas tenham mais acesso a atividades culturais.

O edital de ocupação dos CEUs vai oferecer R$ 100 mil para 80 projetos (27 ainda em 2013 e 53 em 2014), a serem realizados num período de seis meses e necessariamente envolvendo pelo menos duas linguagens artísticas. Já os outros editais são para ações em circo, dança e teatro (Artes na Rua, R$ 3 milhões no total), dança (Klauss Vianna, R$ 6 milhões) e circo (Carequinha, R$ 6 milhões).

- Eu falei na semana passada para a ministra que me sentia de mãos atadas se não tivéssemos esses editais. O que poderíamos fazer se não tivéssemos o básico? - disse Guti Fraga. - Agora, nós temos que buscar grandes parcerias com as secretarias de Cultura. Temos que pensar no povo. Não quero saber qual é o partido de ninguém, quero fazer parcerias para fortalecer todas as artes.

Após a cerimônia, a ministra Marta comentou as polêmicas acerca da liberação de projetos de moda para captação de verbas pela Lei Rouanet. Segundo ela, as críticas vindas de outros setores significam "uma briga por espaço".

- Teatro é a área que mais capta pela Rouanet, 28% do total já vão para o teatro. Então qualquer manifestação contrária a projetos de modo está fora de esquadro. Além do mais, não estamos tirando verba de ninguém. No ano passado, tivemos R$ 1,6 bilhão autorizado para captação pela Rouanet, mas só R$ 1,35 bilhão foram utilizados. Autorizar a captação não significa que o projeto vai conseguir a verba - explicou Marta, que marcou para a semana que vem um encontro com representantes da indústria têxtil.