Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

28/07/2016 às 16:41

No Brasil, só 35,4% do espectro está liberado para a banda larga móvel

Escrito por: Redação
Fonte: Convergência Digital

O índice de Espectro Radioelétrico para os Serviços Móveis da América Latina, feito pela 5G Americas, com dados do segundo trimestre de 2016, mostra que o Brasil lidera a região com 609 MHz outorgados para as operadoras, ou 35,4% do sugerido pela União Internacional de Telecomunicações (UIT) para 2020. 
 
O relatório aponta ainda que a maioria dos países da América Latina – 10 – encontra-se abaixo da média regional de 339 MHz alocados. Os três países com menor índice de espectro radioelétrico entregue para as operadoras encontram-se na América Central: El Salvador (208 MHz), Guatemala (210 MHz) e Panamá (220 MHz).
 
O 5G Americas considera os relatórios das radiocomunicações ITU-R M. 2078 e ITU-R M.2290 da UIT, que estabelece sugestões para a alocação de espectro radioelétrico suficiente para permitir o desenvolvimento apropriado do IMT-2000 e IMT-Avançado.
 
De acordo com o estudo, as regiões com maior quantidade de espectro alocado – Brasil e Cone Sul – são também as que refletem um maior número de usuários utilizando a tecnologia LTE.  A América Central, pontua o estudo da 5G Americas, atrasou com a outorga de espectro, o que também reflete para sua última colocação regional no desenvolvimento e adoção da LTE na região.
 
O 5G Americas ressalta, porém, que o resultado do estudo não comtempla a quantidade de espectro radioelétrico alocado que não encontram-se em uso, ou porque encontra-se ocupado por outros serviços, como por exemplo, no Brasil, onde os 60 MHz outorgados na banda de 700 MHz APT encontram-se majoritariamente ocupados pela Televisão e a migração está postergada até 2023.
 
O índice de Espectro Radioelétrico para os Serviços Móveis da América Latina, da 5G Americas, indica a quantidade de espectro radioelétrico em bandas inferiores a 3GHz que os diferentes governos da América Latina têm entregue aos provedores de telecomunicações para a oferta de serviços móveis.