Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

17/04/2018 às 17:18

O papel da Rede Globo na prisão de Lula

Escrito por: TeleSur
Fonte: Carta Maior

'O maior propagador de ódio político no Brasil se chama TV Globo', disse Lula da Silva, durante sua caravana pelo sul do país

A Rede Globo foi denunciada em várias oportunidades por sua influência no golpe parlamentar contra Dilma Rousseff, em 2016. Durante aqueles meses, a gigantesca corporação midiática se encarregou de “bombardear” os brasileiros com notícias sobre supostos casos de corrupção relacionadas com o Partido dos Trabalhadores (PT), até que se abriu um processo de destituição, que levou à queda da presidenta.
 
Deste então, a empresa passou a usar a mesma estratégia contra Lula, que também vem denunciando as manipulações do canal. “Os grandes monopólios de comunicação foram decisivos para o golpe. A Rede Globo em particular foi um dos principais articuladores e seu grande propagandista. O golpe não teria sido possível sem o ataque sistemático e a sórdida campanha de desmoralização que a Globo fez contra o governo da Dilma e contra o PT”, afirmou o ex-presidente brasileiro, em entrevista para o site Nodal, no ano passado.
 
Para a presidenta do PT, a senadora Gleisi Hoffmann, a Rede Globo teve um papel preponderante na perseguição judicial e posterior detenção de Lula, já que ela criou as matrizes noticiosas que foram usadas para criminalizar o líder sindicalista. “Isso ajudou a formar na opinião pública as ideias que pressionaram o Poder Judiciário”
 
João Pedro Stédile, da coordenação nacional do Movimento de Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), diz que é inegável a responsabilidade desta corporação midiática no golpe que primeiro afetou Dilma, e que agora ataca Lula.
 
“Ela (Rede Globo) é a autora intelectual do golpe, é a coordenadora política das forças de direita no Brasil. A Globo é a maior responsável pelo golpe aplicado contra o povo brasileiro e todo o projeto que se instalou no país a partir dele”, declarou o líder social.
 
Quando dois veículos da última caravana realizada por Lula no Sul do Brasil foram baleados, o líder do PT manifestou que “o maior propagador de ódio político no Brasil se chama TV Globo, e grande parte da imprensa foi conivente com o ódio que disseminaram neste país”.
 
Exemplos de manipulação midiática contra Dilma e Lula
 
Em setembro de 2017, o jornal O Globo publicou uma capa que manipulava os espaços dos textos e das fotos para atacar os ex-presidentes Lula da Silva e Dilma Rousseff. Enquanto a manchete se referia a supostas acusações contra os líderes do PT, a foto logo abaixo mostrava as maletas cheias de dinheiro encontradas no apartamento oculto do ex-ministro de Michel Temer (e um dos articuladores do golpe) Geddel Vieira Lima. A fotografia não tinha nenhuma relação com a notícia relacionada a Lula e Dilma, mas aquela manchete junto com a foto dava a impressão, para quem não lia as letras pequenas, de que aquelas malas eram dos petistas.
 
Em maio desse mesmo ano, o canal tentou envolver Lula no escândalo protagonizado pelo empresário Joesley Batista, dono do frigorífico JBS, e o presidente golpista Michel Temer. Embora a Globo tenha admitido depois que se equivocou ao fazer essa alusão, não reparou o dano causado à imagem de Lula, porque algumas agências internacionais, assim como vários diários estrangeiros, difundiram a notícia.
 
Durante os três dias que antecederam a prisão de Lula da Silva, a Rede Globo também agiu fortemente, usando todos os veículos da organização para defender a medida tomada pelo juiz Sérgio Moro, justificando inclusive a ilegalidade do decreto, criticando a demora do ex-presidente a se entregar à Polícia Federal e criminalizando as milhares de pessoas que foram ao Sindicato dos Metalúrgicos do Grande ABC, em São Bernardo do Campo, para apoiar Lula e tentar impedir sua prisão.