Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

18/08/2011 às 03:45

Para a Globo, mudanças propiciam ganho

Escrito por: Redação
Fonte: Folha de S. Paulo

Durante anos, as emissoras de TV resistiram ao projeto que abriria o mercado de TV a cabo para as teles. Ontem, as Organizações Globo consideraram a mudança positiva.

Segundo Jorge Nóbrega, diretor de Gestão Corporativa das Organizações Globo, houve um ganho com a divisão da cadeia de valor da TV paga, que separou as áreas das teles e a dos radiodifusores.

As teles, pela lei aprovada pelo Senado, não poderão controlar produtoras de conteúdo nem programadoras (que montam os canais). Podem ter até 30% dessas empresas.

Isso para impedir que elas usem seu poder financeiro para controlar a produção de conteúdo. Elas só poderão fazer a distribuição dos canais.

Já os radiodifusores ficarão impedidos de ter mais de 50% do capital de empresas de TV a cabo.

A Globo, que tem 50,01% do capital com direito a voto da Net Serviços, vai transferir o controle para o grupo mexicano Telmex.

Ainda não está definida a data dessa transferência. Mas, segundo o diretor, a Globo continuará acionista minoritária da Net, a exemplo da Sky.

O ponto negativo, segundo Nóbrega, é a instituição do sistema de cotas para conteúdo nacional.A Globo considera uma forma inadequada de estimular a produção independente.

Divergências
A aprovação do projeto trouxe um problema para a Rede Bandeirantes. Dona da TV Cidade, ela terá de vender o controle da empresa de TV a cabo.

A emissora defendia a criação de mecanismos para que nenhum grupo , nacional ou estrangeiro, tivesse sozinho mais de 20% dos canais, uma forma de impedir o domínio da Globo. A reivindicação não foi contemplada.

Já o SBT e a Record foram contra o percentual de publicidade (25% do tempo total da programação) autorizado para a TV paga, o mesmo da TV aberta.

Elas entendem que as TVs pagas já têm a receita da venda de assinaturas e vão tirar publicidade das TVs abertas. A Globo defende que não haja limite para a publicidade.