Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

17/04/2017 às 19:10

Pequenos já promoveram universalização sem ajuda do governo, afirma InternetSul

Escrito por: Bruno do Amaral
Fonte: Tele Time

As políticas públicas de Internet do governo fracassaram ao se dedicar aos grandes grupos econômicos e deixaram aos provedores regionais as lacunas a serem preenchidas nas áreas menos atrativas economicamente. A avaliação do estado atual do mercado de banda larga fixa é do presidente da associação InternetSul, Luciano Franz, que é taxativo: "claramente desde a implantação do PNBL (Programa Nacional de Banda Larga), ele falhou".
 
Mas isso não impediu que o acesso chegasse a regiões menos atendidas, diz. Citando dados informais, ele afirma que "a universalização no Brasil já aconteceu, mas na mão dos provedores de acesso regionais", que acabaram tendo que construir infraestrutura de telecomunicações também.As companhias menores acabam não tendo acesso às mesmas linhas de crédito que as grandes. "Se chegar no BNDES com (pedido de) menos de R$ 10 milhões, eles nem atendem", reclama. "Estamos fazendo papel que as operadoras não fizeram, e fazemos com dinheiro privado, enquanto elas tiveram recursos públicos", declara Franz.
 
De fato, os pequenos provedores regionais têm sido os destaques mais comuns nas adições líquidas mensais da banda larga fixa. De acordo com dados da Anatel, em fevereiro o grupo de pequenos (chamado de "outras" pela agência) contava com 2,958 milhões de acessos, ou cerca de 11% do mercado. Nos últimos 12 meses, esse segmento foi responsável por um crescimento de 671,8 milhões de conexões, ou 51,87% do total do avanço da banda larga brasileira.