Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

06/05/2016 às 14:55

Procurador diz que jornalista foi morta por afetar interesses do tráfico em Veracruz

Escrito por: Redação
Fonte: Portal Imprensa

Na última quinta-feira (5/5), Luis Angel Bravo, procurador do Estado de Veracruz, no México, informou que a jornalista Anabel Flores Salazar, sequestrada e morta por um grupo de homens armados que invadiram sua casa em 8 de fevereiro deste ano, foi assassinada em razão de “algumas publicações que afetaram os interesses de um grupo criminoso” da região.
 
Nesta semana, mais um suspeito de envolvimento na morte da jornalista foi detido. Logo após o crime, a polícia prendeu um dos líderes do cartel de Los Zetas, também acusado de participação na morte de Anabel.
 
Segundo El País, a jornalista  escrevia para os jornais El Sol de Orizaba e El Buen Tono. À época, o diretor do segundo veículo declarou que o trabalho de Anabel não tinha afetado os interesses dos cartéis de drogas, por isso não via ligação da morte dele com o tráfico. No entanto, o procurador de Veracruz discorda, mas sem dar detalhes sobre quais informações publicadas por ela possam ter desencadeado o crime.
 
O Estado de Veracruz é um local importante para as ramificações do tráfico de drogas, de pessoas, prostituição, sequestro, extorsão e roubo de combustível. Desde 2000, de acordo com dados da ONG Repórteres Sem Fronteiras, 16 jornalistas foram mortos na região. Dados de Artigo 19, mostram que em todo o México 92 profissionais de imprensa foram assassinados e há 23 desaparecidos, tornando o país um dos mais perigosos para o exercício do jornalismo no mundo.