Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

29/08/2014 às 06:31

Proposta do Fórum Mundial para web sairá em 5 meses

Escrito por: Redação
Fonte: Valor Econômico - Online

O Fórum Econômico Mundial lançou ontem sua iniciativa chamada "NetMundial"", estabelecendo prazo de cinco meses para apresentar em Davos as primeiras recomendações para uma nova governança da rede mundial de computadores e evitar a fragmentação da web.

Klaus Schwab, presidente da entidade famosa por organizar o encontro anual da elite econômica e política global em Davos, deixou claro que sua ambição é tornar a iniciativa uma plataforma para definir uma nova arquitetura para essa governança.

Mas o presidente da Estônia, Toomas Hendrik Ilves, que comandou a primeira reunião com representantes de governos, academia, sociedade civil e empresas, observou que a nova instância não tem legitimidade para tomar decisões sobre esse assunto e só servirá para consultas e debates.

Os interesses em jogo são gigantescos, tanto econômicos como geopolíticos. A internet deve movimentar US$ 4,2 trilhões até 2016.

As revelações no caso Snowden, envolvendo a vigilância do governo dos Estados Unidos sobre a internet, abalaram a confiança na rede. Mais governos e entidades se conscientizaram da função essencial da web na evolução da sociedade e da economia mundial.

Sob a vigilância do Departamento de Comércio dos EUA, a Icann (Internet Corporation for Assigned Names and Numbers) gera os endereços de conexão na Internet (endereço IP) e os nomes de domínio (como valor.com.br) em nível mundial.

Diante das reações internacionais, em março deste ano o governo americano admitiu renunciar ao seu papel de "supervisão"" da Icann para transferi-la a um mecanismo multisetorial global.

O Fórum convidou 75 personalidades para a primeira reunião de sua iniciativa para desenhar eventualmente esse mecanismo. Desses, 19 eram americanos, 3 brasileiros e 2 chineses. Entre eles, estava o subsecretário de comércio dos Estados Unidos, Bruce Andrews.

Foi a Icann que se aproximou do Fórum Econômico para lançar a iniciativa ""NetMundial"", segundo um participante. Primeiro, procurou a Clinton Foundation, que recusou esse tema polêmico em vista da candidatura de Hillary Clinton à presidente dos EUA.

Com seu movimento defensivo, a Icann tenta garantir seu papel na gestão da internet, de um lado, e ao mesmo tempo, evitar o movimento em favor da atuação da União Internacional de Telecomunicações (UIT), que de toda maneira os EUA não aceitam.

No Brasil, a iniciativa do Fórum Econômico Mundial causou polêmica. O governo de Dilma Rousseff decidiu porém estar presente, por considerar que o país tem uma liderança na discussão sobre a governança da rede e também o exemplo de sua gestão.

Para o secretário para política de tecnologia da informação do Ministério da Ciência e Tecnologia, Virgílio Almeida, o que pode sair de Davos é uma organização multisetorial, altamente representativa, ou uma arquitetura usando entidade existente, para a internet.

"Para as empresas, o problema seria uma internet fragmentada, regulada em cada país"", afirmou o presidente da Accenture, Pierre Nanterme. "Há uma tomada de consciência sobre necessidade de padrões para privacidade de dados, propriedade intelectual, direitos humanos etc.""

Por Assis Moreira | De Genebra