Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

01/02/2016 às 13:13

Repórter palestino há mais de 60 dias em greve de fome está em estado grave

Escrito por: Redação
Fonte: Portal Imprensa

Jornalista é acusado de fazer parte do grupo Hamas

O jornalista palestino Mohamed al-Qiq, preso em Israel desde 25 de novembro do ano passado, não consegue falar e ouve muito pouco, informou o advogado dele, Jawad Boulus. O profissional está há mais de 60 dias em greve de fome.
 
Segundo a AFP, a esposa do repórter, Faihaa, confirmou que os médicos alertaram para o estado de saúde grave. "O que estão esperando para libertar o meu marido? (...) Que sofra uma hemorragia cerebral?", questionou ela durante uma coletiva de imprensa.
 
Os porta-vozes do hospital e do gabinete israelense não quiseram comentar. Na última quarta-feira (27/1), o Supremo Tribunal do país decidiu manter Qiq preso, alegando que observaria sua evolução para decidir quais medidas tomar.
 
O Shin Bet, serviço de inteligência interior israelense, acredita que o profissional é integrante do Hamas, movimento islamita palestino que controla a Faixa de Gaza. O grupo é considerado "terrorista" por Israel, Estados Unidos e União Europeia.
 
Qiq desmentiu as acusações e garantiu que apenas se dedica ao jornalismo. Ele trabalha para a emissora saudita Al Majd. Em dezembro, o repórter foi levado para uma prisão administrativa, regime que permite a detenção sem acusação ou julgamento por períodos de seis meses, renováveis indefinidamente.