Receba no seu e-mail

Voltar

Clipping

14/09/2009 às 07:43

Restrição à mídia entrará em votação

Escrito por: Ariel Palacios
Fonte: Agência Estado

Buenos Aires - Os aliados da presidente Cristina Kirchner na Câmara de Deputados estão exercendo pressão para tentar levar ao plenário, nesta semana, o polêmico projeto da lei de radiodifusão que restringe os atuais grupos de mídia na Argentina. Os analistas políticos calculam que o governo poderá chegar à votação com um número ajustado de parlamentares. O governo afirma que a nova lei "acabará com os monopólios", enquanto que a oposição e as empresas de mídia retrucam, afirmando que implicará em restrições à liberdade de imprensa.

Para conseguir a aprovação, o governo precisaria 129 dos 257 deputados. Segundo diversas estimativas, a presidente Cristina e seu marido e ex-presidente Néstor Kirchner - considerado o verdadeiro poder - possuíam há uma semana entre 130 e 134 deputados favoráveis. Mas, uma controvertida blitz do Fisco realizada contra o jornal Clarín teria provocado a perda de quatro a dez parlamentares. O projeto de lei reduz o número de licenças que os atuais grupos de mídia, abre o caminho para a entrada das companhias telefônicas (amigáveis com os Kirchners) no business de televisão e favorece a presença de sindicatos e organizações sociais (tradicionalmente aliados dos Kirchners) na mídia. O plano é que na terça-feira, a comissão parlamentar aprove o debate na Câmara. Na sequência, os aliados dos governo pretendem realizar a sessão na Câmara. Mas, os aliados dos Kirchners estão divididos sobre os prazos, já que um setor considera que o ideal seria votar o projeto no final do mês e tentar garantir o maior número de votos.
A oposição pretende adiar a votação para dezembro, quando toma posse o novo Parlamento, no qual o governo será minoria.